Participar & Escrever

Ver mais sobre

    • 2018-04-11 02:54:3111 Abril 2018 editado
    • #1

    Olá a todas,
    Venho por este meio partilhar com todas vocês, a minha experiência, de modo a que possa reconfortar alguma ansiedade, e dúvidas que se avizinham neste momento.
    Tenho 23 anos, de momento ocupo o meu tempo a trabalhar durante o dia e a estudar à noite em regime pós-laboral, tenho uma relação estável que já perdura há 6 anos com o meu companheiro e não sou de classes sociais baixas. Porquê dizer-vos isto? Para um mero enquadramento social da minha pessoa, e para desmistificar todo o estigma que existe em volta de que apenas as mulheres de classe baixa e pouco letradas é que realizam abortos.
    Infelizmente, a irresponsabilidade toca-nos a todas. Todos temos telhados de vidro, e todas sofremos de incapacidades ou divergências no quotodiano que podem preconizar uma situação destas.
    O meu relato vem no sentido de que passe a existir uma progressão no SNS português, relativamente a interrupções voluntárias de gravidez.
    Comecei a ser acompanhada em Portugal, mas rapidamente desisti. Fui a várias consultas, entre os mais diversos hospitais, e ao meu centro de saúde claro, e houve sempre uma retenção da parte dos médicos, de modo a fazer-me desistir da minha ideia de avançar com a interrupção. Porquê? Onde está o critério de imparcialidade a que estão adstritos? Andei neste enredo cerca de uma semana e meia, e nada resolvido. Quando, já´sem esperanças, e com uma vontade súbita de eu mesma pelos próprios meios por termo àquela infelicidade, fui assistida por uma médica que me esclareceu o quanto os processos de ivg's eram demorados em Portugal, e por vezes o prazo legalmente permitido por lei era caducado, precisamente por ser um processo tão demorado, e depois já nada haveria a fazer.
    Entrei em choque. Que faço? Preciso de ter esta situação o mais rapidamente possível resolvida de modo a que possa retomar à minha vida real.
    Após muitas pesquisas, entrei em contacto com a Clinica Guadiana em Badajoz. Rápido, mas muito rápido mesmo se prontificaram a fazer a intervenção. Liguei numa quarta-feira, e fui logo marcada para a terça-feira da semana seguinte. Assim que cheguei, fiquei em dúvida, a pensar que poderia ter-me enganado no local, pois pairava sobre aquele espaço um ambiente tranquilo e atrevo-me a dizer, bastante reconfortante, havia inclusive mâes com as suas crianças, familias, todo um ambiente que aqui em Lisboa nunca seria verificado. Tudo foi muito rápido, assim que entrei foi-me atribuido um número e foi sempre por esse número que fui chamada até ao fim. São realizadas ao todo 4 consultas, entre as quais, uma eco, análises ao sangue, e duas de planeamento familiar e esclarecimentos acerca da interrupção. A ivg dura a volta de 6 a 8 minutos e não se sente rigorosamente nada, e tem um custo agregado de 500 euros (isto para anestesia local). Desde a chegada à clinica até à saida demorei por volta de 3 horas. As dores são perfeitamente superáveis, e somos tratadas com DIGNIDADE e RESPEITO. Toda a equipe médica prontifica-se desde logo a ajudar em qualquer constragimento que possa surgir.
    Este é o meu testemunho. A minha gestação era de 7 semanas.
    Um bem haja a todas.