Participar & Escrever

    • 2017-10-15 15:36:0615 Outubro 2017 editado
    • #1

    olá!
    sexta feira, depois de suspeitar, fiz o teste de gravidez e deu positivo. foi como se caísse um balde de água fria pois ser mãe nunca fez parte dos meus planos e ao longo destes 38 anos de vida sempre tive cuidado! à excepção desta vez. no calor do momento, deixei-me ir sem preservativo e, segundo este resultado, a pílula do dia seguinte já veio tarde. ... tenho uma relação incomum com um homem 10 anos mais velho do que eu, com dois filhos e divorciado. Não somos oficialmente comprometidos ainda que comuniquemos todos os dias e não nos envolvamos com outras pessoas. mas tanto as nossas profissões quando residencias em cidades diferentes não nos permitem (ou se calhar, só a penas a mim) seguir o protocolo e oficializar o relacionamento.
    para ser franca, esta relação é confortável para mim. finalmente estou a conseguir chegar ao patamar profissional que sempre sonhei e a liberdade desta relação faz-me feliz.
    No entanto, engravidei. Não quero ser mãe, não tenho perfil para ser mãe, chamem-me egoista mas honestamente adoro a minha liberdade de não ter filhos. No dia em que soube da noticia fui directa à maternidade marcar uma consulta prévia de ivg e a minha decisão já está tomada. não quero ser mãe. terei a consulta esta terça feira e Não contei a ninguém e decidi que vou passar por isto tudo sozinha, no meu anonimato. Mas, estou com sérias dúvidas se hei de falar com ele ou não. Será correcto esconder isto se a minha decisão já está tomada? Será correcto dizer-lhe que estou grávida se a minha decisão já está tomada? Alguém aqui passou por uma situação semelhante? será que o apoio do parceiro (ainda que nao saiba qual será a reacção dele) é necessária?
    Será que há aqui alguém que tenha passado por isto.
    agradeço desde já a pela vossa ajuda


    • 2017-11-01 01:08:42 1 Novembro 2017
    • #2

    Olá!
    Eu não sei o que é correcto de verdade, numa situação destas. Todos nós somos incutidos logo (quase) à nascença do que é certo ou errado.
    Acho que deves de fazer o que achares melhor e com o que te faça sentir confortável. Afinal de contas, o corpo é teu e a mente também é tua. Acho que, pelo menos, o apoio de alguém amigo faz toda a diferença.

    Olha, já agora, minha querida...
    Escrevi isto no começo da minha conversa e aguardo a resposta de alguém. Achas que me podes ajudar?
    Então escrevi o seguinte:

    reciso muito da vossa ajuda urgentemente. Descobri hoje que estou grávida, provavelmente, de 5 semanas e tenho como minha decisão o IVG.
    Percorri o hospital de Santa Maria e indicaram-me para ir primeiro ao meu centro de saúde saber qual é o meu hospital de residência. Ao chegar ao centro da Lapa fui logo muito mal atendida e quando disse do que se tratava senti uma frieza e um desprezo enorme por parte da funcionária que me atendeu. Deu-me um papel onde diz qual é o meu hospital e mandou-me para a Maternidade Alfredo da Costa. Isto... eram umas 8 da noite. Cheguei, fui ás urgências e a senhora que me atendeu até me pareceu querida. Disse-me que tinha de lá ir na quinta feira que vem, pois amanhã é feriado.
    Eu não sei se estou a fazer bem todos os procedimentos, estou desesperada! Sinto medo que me estejam a empatar dias, noites, semanas... tempo... aquele tempo que não tenho, porque trabalho em part time e faço estagio ao mesmo tempo. Estou a terminar o meu curso e eu não posso nesta etapa ter uma criança. Não tenho rendimentos nenhuns. Eu sou daquelas mulheres que nasceram para serem mães e elas sabem disso desde que se lembram de existir, mas não assim... Não desta forma. Sinto que não está na altura.
    Por favor, ajudem-me!
    Não tenho forma de simplesmente ir à clínica dos arcos e ter pagar um valor que não tenho e não tenho ninguém que me ajude a arranjar tal quantia.
    O que devo de fazer??
    Alguma de vocês pode dar-me o seu contacto, para que me possa orientar e saber o que fazer?
    Toda a ajuda é preciosa e muita força a todas as mulheres que já passaram e que estão a passar por isto. É uma decisão muito difícil.