Participar & Escrever

Ver mais sobre

    • 2015-12-15 18:09:4715 Dezembro 2015 editado
    • #1

    Olá ,
    Devido a factores de maus tratos infantis físicos e psicológicos , desde muito nova me senti infeliz e como uma criança inocente via a agressão física como algo normal na educação de uma criança, tudo começou aos 4 anos até ter idade de me defender , já tinha 14 anos. Os anos passaram e sempre me senti inferior as outras pessoas por causa da violência psicologica, falta de auto-estima, desvalorização pessoal, passei por um grande desgosto a nivel afectivo que fez com que num dia dentro de uma camioneta a ir para o trabalho tivesse começado a tremer . falta de ar e consegui sair a tempo, corri para um café onde me vomitei toda e a nivel abdominal foi o caos. A partir desse dia a minha vida mudou, não saia de casa, impossível andar de transportes publicos, não dormia nem comia. Fui tratada e medicada, luto com isto á uns 8 anos , estou solteira á 5 ou 6 anos nunca mais consegui ter um relacionamento. Tenho tido recaídas a vida tornou-se insuportavel só de estar viva, ansiedade até de ir a rua, andar de transportes tudo desaba a cada recaída, uma dor lacinante de tristeza no peito. Encontro-me agora noutra recaída. já fiz yoga. meditação, etc mas nada resultou, o corpo toma totalmente conta de mim impossível aplicar o que aprendi. Adorava ser mãe mas com esta doença não o posso ser devido a medicação,mais triste fico a ver as minhas amigas a serem mãe e eu com a vida arruinada por causa desta maldita doença que me limita a vida e me tira o prazer de tudo. Peço todos os dias a deus para não acordar de manhã, já sofri tanto que considero muito o facto do suicídio. Gostava de saber se alguém também sente isto? E se há cura ...estou quase a desistir.


    • 2018-02-21 00:12:1521 Fevereiro 2018
    • #2

    Olá Lorely

    Desistir? Nunca,
    Depreendo que seja uma rapariga jovem. Já pensou na sorte que tem? Ter a juventude do seu lado?
    Todos temos os nossos momentos ao longo da vida. Uns melhores uns piores. A criação diz muito de nós. Hoje que sou mãe, vejo o quão importante é, transmitir amor. Eu não tive muito amor quando fui criada. Não me faltou teto, comida, educação mas, senti falta de afecto que não eram em abundância. Hoje tento dar à minha filha o máximo de amor e afecto que consigo. Não quero que ela sinta falta dessa lacuna na vida dela.
    Entendo que a sua vida não tenha sido fácil desde cedo mas, tem de aprender a lidar com isso. Procurar ajuda de um profissional novamente se calhar era uma mais valia. Precisa de ajuda minha querida! Pensar no suicídio não é solução. Você é muito mais e melhor que isso!