Participar & Escrever

Ver mais sobre

    • 2012-01-23 13:00:0123 Janeiro 2012
    • #151

    Outra coisa...há alguém aqui que tenha realizado IVG no hospital infante dom pedro de aveiro? Se sim, como correu tudo?

    obrigada


    • 2012-02-04 21:40:13 4 Fevereiro 2012
    • #152

    Boa noite!
    Tenho 21 anos, sou estudante e pretendo fazer uma I.V.G. Sempre fui muito disciplinada com a pílula, mas já o preservativo não faz parte dos meus hábitos, nem do meu namorado. Num dos dias, tomei a pílula, tive diarreia, e, ao que parece, a pílula não foi absorvida e correu mal. Estou completamente perdida! Não sei o que fazer, não sei com quem falar... Gostaria de ia à 1º consulta nos HUC, em Coimbra. Sou atendida mesmo não sendo de lá? Como faço para marcar? Por favor, ajudem-me.. não sei o que fazer. Estou em pânico!

    Desde já muito obrigada! São os vossos testemunhos que me têm separado do abismo.

  1. Registei-me e escrevo-vos para pedir a vossa opinião sincera.
    Estou grávida de 7 semanas, fruto do meu actual namoro que conta com 2 meses de vida. Quer para mim, quer para o pai do bebé, seria o nosso segundo filho (eu tenho 36 anos, ele 42, ambos divorciados). Para mim, é uma gravidez muito desejada mas para ele não. Tanto que a primeira reacção dele foi empurrar-me para uma IVG. Tenho feito a caminhada toda de consultas e análises sempre com um enorme peso na consciência e sinto-me francamente mal por ir pôr termo a uma vida que cresce dentro de mim.
    Hoje estive na Clinica dos Arcos e senti-me tão amargurada que só queria fugir dali para fora. O meu namorado tem estado sempre presente mas, depois de muito conversarmos, mantém a opinião de que nada sente pelo bebé e que se eu prosseguir com a gravidez que a nossa relação termina. Bem sei que atravessamos um período de crise económica mas um bebé é sempre um bebé. E eu preciso tanto, mas tanto da vossa ajuda. Não sei o que fazer!
    Tenho a IVG marcada para dia 23 e sinto-me perdida e sem apoio, a não ser o apoio que eu mesma me dou, a mim e ao bebé. Acho que, se seguir em frente com a IVG, carregarei para sempre um peso na minha consciência. Por outro lado, se não seguir em frente com a IVG, que futuro estarei a dar ao meu bebé, sendo ele “rejeitado” pelo pai?
    Ajudem-me, por favor!
    Muito obrigada.

  2. Olá,querida...infelizmente um homem assumir essa posição é o pão nosso de cada dia:(A relação é recente e isso pode ser um factor que influencie e que tenha o seu peso na decisão final mas estando o "mal" feito se realmente quer e acima de tudo tem condições socio-económicas para ter esta criança porque não ponderar?Uma criança precisa d um pai quando este se interesse por ela e não de um pai por obrigação e se ele ameaça com o fim da relação tem que ser você a pensar muito bem se este homem merece tê-la na vida dele.
    nao tem que pensar na opinião dos outros,pense antes em si e na sua consciencia e no que sera melhor para si,não pense tanto nos outros,oiça o seu coração,depois a cabeça,no fim faça o que VOCE achar melhor. Pense que quando o fizer num canto obscuro do seu coração de mãe vai ter smpre essa raiva do seu companheiro por te-la forçado a ter uma atitude que não era do seu desejo e a ruptura não partirá dele mas sim,de si.
    Estou gravida de 6 semanas e 1 dia,fui hoje a consulta previa,fiz a ecografia e analises e na proxima 2ª tenho a consulta c o anestesista e farei a intervenção talvez la para dia 28 deste mes:( Culpabilizo-me todos os dias de pensar sequer em acabar com algo que e meu e eu sei que é contra-natura mas não tenho hipotese,tenho 2 filhas ainda pequenas e por muito que me custe e que ande a passar noites sem pregar olho,neste momento nao tenho saida.Chamo-lhe egoismo ou bom-senso mas nao sou ninguem para julgar quem quer qu seja e estou solidaria ao maximo com quem neste momento atravessa comigo este momento.Desejo que passe esta fase e que venham melhores dias.

    Beijinhos a todas

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: mylittlebaby

    • 2012-02-16 00:17:3716 Fevereiro 2012
    • #155

    Boa noite a todas...:)
    Sou a Ana,tenho 20 anos. Tenho uma relação estável e feliz,que completa amanha, dia 16, 3 anos. Tínhamos uma vida sexual saudável, eu não tomo pílula e o nosso único contraceptivo era o preservativo. Estou num processo de emagrecimento,em q sou acompanhda e já perdi 27kg. Estava a viver os melhores dias, meses da minha vida, a concretizar finalmente um objectivo, prestes mesmo a atingi-lo, quando reparo que a minha menstruação não dava sinais, o meu apetite aumentou de forma inexplicável, o meu peso aumentou 2kg num espaço de uma semana e tinha perdido totalmente o meu apetite sexual. Como não era a primeira vez que a minha menstruação não vinha, ignorei.

    Após duas semanas disto, eu e o meu namorado, constatamos que estava na hora de fazer um teste de gravidez para tirar-mos esse bichinho da cabeça.

    Segunda feira de manha, dia 16 de Janeiro de 2012, acordo, vou a casa de banho e faço o teste. Em poucos segundos, lá estavam os dois tracinhos. Fiquei apática e pensei: " estou a sonhar, ainda nem acordei..."

    Liguei de imediato ao meu namorado, que viesse buscar-me a casa, algo não estava bem. Assustado e preocupado veio num instante e disse-me: " é o que estou a pensar?" respondi:" não, algo esta errado".

    Fomos a farmácia mais próxima e fizemos, ou melhor, fiz o segundo teste, na própria farmácia e acompanhados pelo farmacêutico, 15 minutos depois.

    Em segundos, com o meu coração a mil, ambos ouvimos:" parabéns, esta gravida..."

    O mundo caiu a meus pés naquele preciso instante. Fechei os olhos e pensei para mim que ainda estava a dormir e que ainda não tinha acordado... Depois de cair em terra e assimilar um bocadinho a situação (q ainda hj não esta totalmente assimilada), ambos disse os q o mais correcto seria interromper a gravidez. Na noite do mesmo dia, fomos as urgências, no hospital de Braga, pois estávamos desnorteados e não sabíamos onde ir, nem o que fazer... Nas urgências fomos encaminhados para a obstetrícia onde me fizeram a ecografia e confirmaram que estava gravida, de exactamente 6 semanas e 2 dias. Os médicos informaram-nos que as consultas de ivg eram marcadas nas urgências, no balcão de informação, mas só poderíamos marcar no dia seguinte, pois a partir das 17h da tarde, o serviço encerra. No dia seguinte, lá estávamos e marcamos a consulta que só tinha vaga, sete dias depois...foram os piores dias das nossas vidas, cheios de incertezas, ponderações, pros e contras, choro, abraços...

    Foi no meio deste turbilhão, que decidimos contar a situação a minha Mae( já tínhamos cintado a minha Irma) que logo demonstrou inclinação para a ivg, devido a nossa instabilidade financeira e as dificuldades que o pais atravessa. Não seria de todo a melhor altura para ter um bebe.

    Chega então o dia da 1a consulta, os dois dirigimo-nos ao hospital em tremendo estado de nervosismo. Foi tudo muito rápido, entrei e foram muito directos... Fizeram uma data de perguntas e por fim deram as opções, que no fundo não tive, porque descartaram de imediato o método cirúrgico.

    Deram-nos um período de 3 dias de reflexão e no dia 26, lá estávamos para a 2a consulta... Se a 1a tinha sido rápida, esta então nem se fala. Entramos, o médico perguntou qual tinha sido a decisão que tínhamos tomado e de imediato de meu o comprimido oral que viria a desvitalizar o feto. Deram-me de seguida, 9 comprimidos de misoprosol para aplicar via vaginal, no dia seguinte a partir das 8 da noite, com intervalos de 4 horas entre as tomas de 3 comprimidos de cada vez.

    A minha hemorragia começou durante a tarde do dia 27, antes de aplicar a medicação e fiquei assustada, pois a enfermeira tinha dito que só ocorreria depois da primeira aplicação de 3 comprimidos, ou ate mesmo só na segunda aplicação, mas como não sentia qualquer dor, aguardei para ver o que acontecia... Fiz as tomas dos comprimidos, bastante assustada pois não sabia o que me esperava. A única coisa que senti, foi após a primeira aplicação, meia hora depois, senti uma dor no fundo da barriga, quase que como se alguma coisa tivesse descolado e senti necessidade de ir ao wc. Fui e expulsei sangue coagolado, mas nada de especial.

    De resto, a hemorragia foi igual a menstruação e não senti dores. Fiquei preocupada, pois fomos alertados que iria sentir dores fortes e bastante hemorragia.

    No passado dia 10 deste mês, foi a consulta pos-ivg e o médico, 5 estrelas, perguntou-me como tinha corrido tudo e o que tinha sentido. Quando contei o processo, o médico ficou em silencio e mandou-me de imediato para a marquesa...

    Fiquei em pânico com aquela reacção.

    Deitei-me e o médico começou o exame...tudo isto em silencio...um verdadeiro horror...

    Eis que finalmente o doutor disse:" esta tudo bem minha querida, foi só um susto..."

    Não imaginam o alivio de saber que estava tudo bem...:)

    Em seguida coloquei o implante subcutâneo e vim embora... A ultima frase que o doutor me disse foi :" foi um prazer conhecer-Te, só foi pena não ter sido numa consulta mais divertida"... O senhor era realmente super simpático, compreensivo e não disse uma única palavra que me recriminasse ou me deixasse desconfortável, assim como o resto da equipa.

    Foi tudo super rápido, discreto e pessoal...

    O lado psicológico continua magoado, esse ficara sempre, mas tenho no céu uma estreou há que brilha por mim e que sabe que isto foi o melhor para todos,pois iria acabar por sofrer, por muito que tanto eu, como o meu namorado não quiséssemos...:)

    A todas as meninas que já passaram, estão a passar e que poderão vir a passar, um grande abraço de forca...:)

    Ps- não referi em cima, mas ambos éramos completamente contra o aborto provocado, mas no meio desta triste história que permanecera para sempre connosco, tiramos das maiores lições de vida:" Nunca dias, desta agua não beberei."

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: gmil

  3. Marisol, sinto-me muito dividida. Por um lado desejo muito a criança que nasce dentro de mim. Mas, por outro lado, não tenho arcaboiço económico para cuidar dela sozinha. E será que estaria a proceder bem mandando vir o bebé mesmo assim? Houvesse mais apoios, e não hesitaria...para além disso, tenho o meu namorado que não aceita o bebé. Estaria a ser uma boa mãe se o mandasse vir, mesmo assim?
    Sinto-me muito fragilizada com tudo isto...e sinto que o relógio está a contar os minutos e eu cada vez mais próxima de um abismo psicológico...
    Beijinhos a todas.

  4. Pois,esta vida de facto não está nada fácil...entendo que se sinta dividida mas uma coisa lhe digo.Quem tem ao seu lado não merece ser o outro hemisfério...Só lhe digo isto pois quando engravidei da minha segunda filha o pai fez-me uma pressão psicológica tal para abortar que quando me sentei e pensei para comigo o que iria fazer da vida,conclui que este filho que estava dentro de mim já era muito mais importante e era muito mais meu do que ele algum dia seria e entao agarrei em mim,na minha filha mais velha e mesmo grávida vim-me embora.Homem nenhum tem o direito de nos encostar á parede e nos ultimar sobre o que havemos de fazer...Por isso minha querida,digo-lhe de coração,se tiver que interromper essa gravidez pense nos seus motivos e é legitimo que o faça mas não por causa de um homem que ameça que a vai deixar e que não vai querer saber do filho,pois um bocadinho sem querer revelou-se e dessa pessoa nunca vai poder esperar um grande retorno.Se me disser que mal tem condições para se sustentar a si própria,está de caras a atitude que terá de tomar mas se me disser que embora não tenha muito ,tem ainda uma margem de manobra que lhe permita que um pouco de um lado e um pouco do outro,consiga proporcionar uma vida confortável ao seu filho,repense.Uma criança não tem que ter tudo o que quer e sim aquilo que precisa,o resto é amor!!Desejo-lhe paz de espirito e coragem para assumir qualquer decisão que tome.Um beijinho cheio de amizade.

  5. ACDF,infelizmente pensamos que só acontece aos outros:( e por isso custa cair na real e tomar consciencia de tudo o que se está a passar nao é?Pode ter sido muito bem assistida e ainda bem que assim foi mas deixe-me só dizer-lhe que eles não tinham que ter excluido a hipótese cirurgica,pois é de lei,as mulheres tem o direito a optar pelo método pela qual querem fazer a sua IVG.Ainda bem que correu tudo bem e em relação á tal mágoa que sente penso ser normal mas tem de se agarrar ao facto de ter a noção de que não tinha como fazer de outra forma.O tempo ameniza tudo e tem a vantagem de ainda nao ter filhos,quando se tem é ingrato pois sabe-se exactamento o amor que se perdeu.
    O implante é extremamente seguro e foi uma opção super responsável da sua parte.
    Força querida,beijinhos

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: Acdf, Marina Silvestre

    • 2012-02-16 22:02:5516 Fevereiro 2012
    • #159

    marisol, sim, por lei podia escolher o metodo cirurgico, mas tambem nao era da minha vontade, o meu companheiro é que o preferia...tive a sorte (e como agradeco isso a Deus) de ter corrido tudo bem e nao sentir dores fisicas... :) Quanto ao implante, estou a dar-me super bem com ele e recomendo vivamente as mulheres que nao se adaptem bem á pilula, como e o meu caso...a magoa acalma claro, nao se esquece, mas acalma e chega a uma determinada altura em que ja nao pensamos nisso diariamente...o que mais me magoa, é pensar que magoei um bebe, sim, porque o aborto é muito doloroso para o feto, o cirurgico entao nem se fala...vi um video de um aborto cirurgico na net e fiquei chocada com a forma como o feto foge do "aspirador"...é chocante, horrivel...nao quero imaginar sequer como sera no medicamentoso, porque iria atormentar-me mais... :(

    mas claro que foi a decisao mais acertada, disso nao tenho duvidas... nao digo que nao me arrependo, mas ... talvez tenha sido um acto de cobardia, mas foi o nossa decisao... Todos os dias peco desculpa a deus e ao meu bebe por ter feito tal coisa...

    beijinho a todas...

    • 2012-02-18 01:11:3918 Fevereiro 2012
    • #160

    Olá a todas!
    Acabei por "cair" neste site por acaso no Google e digo-vos já que fiquei "colada" ao écran.
    Também eu já fiz uma IVG, já foi há muitos, muitos anos mas a verdade é que jamais se esquece.
    Ao longo da vida fui sempre fazendo esforço para esquecer, consciente ou inconscientemente, tudo o relacionado com a Ivg.
    Algumas coisas fui conseguindo, nao me lembro do nome do medico, do n. da porta, nem sequer de quanto custou.
    Foi há 20 anos. Na altura nao havia internet como hoje, nem a abertura que hoje existe para falar destes assuntos.
    Na altura tinha 15 anos, estava no liceu, filha de uma família extremamente rígida. Tínhamos (eu e o namorado de então) projectos de ir para faculdade, tirar um curso, etc, para além do que era realmente uma menina ainda nao suficientemente crescida. Foi uma decisao conjunta, portanto. Mais tarde a vida afastou-nos mas ainda hoje quando me cruzo com ele, sinto um conforto imenso. Só nós soubemos por isso só nós nos podíamos confortar. E ele foi sempre impecável. Apoiou-me muito mesmo.
    Agora, passados tantos anos, revi-me completamente nas vossas palavras... É algo que nunca se esquece.
    Hoje sou casada há 6 anos, não tenho filhos ainda, embora andemos em tentativas há 6 anos, não há motivo aparente para não engravidar mas o certo é que ainda nao aconteceu. Por isso vamos agora passar para a ajuda medica para engravidarmos.
    Mas entretanto já dei muitas vezes por mim a pensar: é castigo. Tanto não quis há 20 anos.
    Depois pensamos que é só carregar num botão e acontece de novo.
    O meu marido não sabe, já pensei em contar-lhe, talvez assim percebesse a minha vontade imensa de engravidar mas sinceramente nao me apetece falar deste assunto com ele.
    Acho que é uma dor que quero carregar sozinha mesmo.
    Mas, olhem, vocês mencionaram muitas palavras com as quais me identifiquei e desejo a todas muita coragem, seja qual for as decisões que tomem.
    Mas são decisões que se carregam uma vida inteira, então se mais tarde nao conseguirem engravidar é uma dor imensa que se acentua ainda mais.
    Agora, se fosse hoje se voltava a tomar a mesma decisão? Sim, acho que sim. Era a decisão correcta.
    Mas nunca deixa de ser uma profunda tristeza...

    data-ad-client="ca-pub-8057434045421582" data-ad-slot="3064784842">
    • 2012-02-22 23:21:0522 Fevereiro 2012
    • #161

    Meninas,

    Suspeito que estou grávida. Estou no Porto, a 500km de casa. A minha família não pode saber, nem o meu namorado. Não tenho amigos e vivo num quarto alugado, num apartamento com pessoas que não conheço. Se for fazer uma aborto, preciso de alguém que esteja comigo e que me segure na mão quando estiver a sangrar, a enjoar a temer morrer. Preciso de alguém que me diga que vai ficar tudo bem e que o que estou a fazer é o correcto. Tenho medo, muito medo e temo não conseguir suportar tudo sozinha, preciso se abrir um pouco a dor com alguém, mesmo que um desconhecido.

    Se alguma de vocês estiver no Porto, POR FAVOR, responda e diga-me se pode vir comigo às consultas e ficar comigo no momento do aborto, que me possa deixar o número de telefone para que eu possa telefonar a alguém se precisar de ir a correr para os hospital. Eu posso inclusivé pagar-vos uma quantia simbólica para esta companhia, forneço comida e alojamento confortável caso precisem de ficar comigo uma noite em minha casa. Só preciso mesmo de "alugar" uma amiga, uma mulher que já tenha passado por isto e que me acompanhe, só desta vez, que me doe um pouco do seu tempo.

  6. Boa noite!Descobri hoje que estou gravida, não sabendo ainda o tempo certo, mas não devo exceder as 4 semanas, estou a pensar seriamente em realizar uma IVG, neste momento ter este bebé seria muito complicado, tenho uma menina pequena que ainda requer muita atenção o que por vezes devido ao meu emprego infelizmente acaba por ser pouca e isto para não falar no emprego do meu marido, onde ele ta muito tempo fora de casa, tanto um cm o outro temos um emprego que requer muito de nós, por vezes já sinto que estou a falhar com a minha pequenina! Liguei para a linha da saúde24 e informaram que no hospital da minha residência não realizam a IVG, tenho de dirigir-me ao mesmo e pedir uma declaração em como não a realizam e com essa declaração dirigir-me à clínica dos arcos em Lisboa!Mas será que terei de pagar alguma coisa?Recorrer ao hospital seria mesmo para não ter qualquer gasto e assim na clínica dos arcos terei?
    É um misto de sentimentos,estou confusa e com medo, mas com a certeza de que é o que quero ou melhor o que neste momento tem de ser feito, tenho a sorte de ter um marido que me apoia e que está a meu lado seja qual for a minha decisão.
    Ler todos estes testemunhos fez com que me sentisse com coragem e força e ajudou a não me sentir de certa forma sozinha!
    Obrigado!

    • 2012-02-25 16:33:3325 Fevereiro 2012
    • #163

    Terça feira passada dia 21 de Fevereiro fiz o teste e deu positivo. Tenho 33 anos e tenho uma filha de 8 anos. O meu namorado apesar de trabalhar tem alguns encargos e além da situação economica, alega tb que não se sente emocionalmente estruturado nem acha que eu estou, pois a vida deu algumas voltas e eu vivo em casa da minha mãe, com quem tenho muitos problemas relacionais, mas ele apesar de falar que quer muito viver comigo diz que ainda não chegou a hora, ainda ou nunca mais avançamos. Eu quis e quero ter este filho, mas estou sozinha nesta decisão e desde amigos até ao meu companheiro, todos acham má altura. Cada vez me sinto mais so, confusa e assustada. E eu que tenho uma filha, olho para ela e desvio o olhar, pois doi muito imaginar como seria se eu tivesse feito com ela o que provavelmente vá fazer agora com alguém que com apenas 5 semanas já me dá vontade de viver e lutar por ele e pela que já tenho. Mas sozinha? E se eu não for capaz de lhes dar tudo o que eu mereço? E se eu perder o meu trabalho? O pai da minha filha está ausente, mas já vou aprendendo a lidar com essa realidade de uma forma mais madura e realista, não está. Mas eu estou. O meu namorado por sua vez apesar de estar e ser presente não quer de maneira nenhuma ser pai. Apenas se preocupa com as consequencias que possam advir para mim após o aborto. Ele tem 55 anos, mas seja como for não quer. Eu já estive grávida há 1 ano atrás e acedi aos pedidos dele. Na altura as minhas condições de vida eram mais precárias. Foi um grande sofrimento, ignorava o que se passaria após tomar os medicamentos. E transporto as imagens comigo. Mas apesar de ser mais fácil culpabilizar o meu companheiro, na altura eu estava sem forças para seguir com uma gravidez, eu decidi abortar. Hoje eu adorava ir em frente com esta gravidez e tento ser razoavel como me dizem e enfiar a ideia dentro de mim à força que o melhor é sujeitar-me à violência que infelizmente já conheço. Só que está ser penoso. Deixei de funcionar, deixei de ter um porto seguro onde repousar. Agora é uma corrida contra o tempo e saber que sob pressão, angustiada e confusa terei de decidir, e responsabilizar-me pelas consequêcias que uma decisão acarreta. Obrigada


  7. Citar mvh "Terça feira passada dia 21 de Fevereiro fiz o teste e deu positivo. Tenho 33 anos e tenho uma filha de 8 anos. O meu namorado apesar de trabalhar tem alguns encargos e além da situação economica, alega tb que não se sente emocionalmente estruturado nem acha que eu estou, pois a vida deu algumas voltas e eu vivo em casa da minha mãe, com quem tenho muitos problemas relacionais, mas ele apesar de falar que quer muito viver comigo diz que ainda não chegou a hora, ainda ou nunca mais avançamos. Eu quis e quero ter este filho, mas estou sozinha nesta decisão e desde amigos até ao meu companheiro, todos acham má altura. Cada vez me sinto mais so, confusa e assustada. E eu que tenho uma filha, olho para ela e desvio o olhar, pois doi muito imaginar como seria se eu tivesse feito com ela o que provavelmente vá fazer agora com alguém que com apenas 5 semanas já me dá vontade de viver e lutar por ele e pela que já tenho. Mas sozinha? E se eu não for capaz de lhes dar tudo o que eu mereço? E se eu perder o meu trabalho? O pai da minha filha está ausente, mas já vou aprendendo a lidar com essa realidade de uma forma mais madura e realista, não está. Mas eu estou. O meu namorado por sua vez apesar de estar e ser presente não quer de maneira nenhuma ser pai. Apenas se preocupa com as consequencias que possam advir para mim após o aborto. Ele tem 55 anos, mas seja como for não quer. Eu já estive grávida há 1 ano atrás e acedi aos pedidos dele. Na altura as minhas condições de vida eram mais precárias. Foi um grande sofrimento, ignorava o que se passaria após tomar os medicamentos. E transporto as imagens comigo. Mas apesar de ser mais fácil culpabilizar o meu companheiro, na altura eu estava sem forças para seguir com uma gravidez, eu decidi abortar. Hoje eu adorava ir em frente com esta gravidez e tento ser razoavel como me dizem e enfiar a ideia dentro de mim à força que o melhor é sujeitar-me à violência que infelizmente já conheço. Só que está ser penoso. Deixei de funcionar, deixei de ter um porto seguro onde repousar. Agora é uma corrida contra o tempo e saber que sob pressão, angustiada e confusa terei de decidir, e responsabilizar-me pelas consequêcias que uma decisão acarreta. Obrigada".

    Minha querida, é penosa a sua situação, contudo o meu conselho é para que prossiga a sua gravidez. Nada é mais penoso que perder um filho, quanto mais ser detentora da culpa de o perder. A vida dar-lhe-à forças e meios para criar o seu bebé. Não desista dele nem de si em prol de ser altura certa para o seu companheiro. Você e o seu bebé são o que mais importa. Coragem!!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: mvh

    • 2012-02-26 18:42:0726 Fevereiro 2012
    • #165

    Boa tarde,

    Tenho 30 anos e há 8 anos fiz uma IVG. Descobri esta semana que estou novamente grávida e vou amanhã ao médico. O meu problema é que na altura ninguém soube da IVG (além do meu namorado, que ainda é o actual), e queria muito ir ao médico que acompanhou a minha irmã e que é amigo de família. No entanto, a minha mãe irá comigo e não pretendia dizer-lhe que fiz um aborto. Há maneira de o médico descobrir? Há algum inconveniente em esconder essa situação?
    Alguém me pode ajudar?
    Muito Obrigada!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: jnf

    • 2012-03-09 10:28:24 9 Março 2012
    • #166

    Olá meninas....
    Tenho 27 anos...e estou gravida, novamente. Não sei como foi acontecer, tenho sido religiosa a tomar a pílula e a quantidade de vezes que temos tido relação é lamentável....Tenho uma filha com quase 2 anos. Uma relação que dura a 7 anos, com os seus altos e baixo como todas. E infelizmente, já decidi. Vou fazer uma IVG... Está a ser muito doloroso pensar no assunto, mas não tenho outra opção. Por vários obstáculos que nos foram aparecendo na vida, ainda vivemos em casa dos meus pais, o meu marido está desempregado, e daqui a uma semana para lá caminho, a minha mãe tem uma doença degenerativa, sendo o meu pai o único que trás rendimento para casa, que mal tem dado para pagar as despesas, ainda por cima com a minha irmã a estudar fora. Os meus sogros tem uma reforma miserável que mal dá para pagar os medicamentos de esquizofrenia da minha sogra e os tratamentos de cancro do meu sogro... Não temos condições para ter outro filho neste momento. Tenho a minha consulta marcada para terça feira, e estou nervosa. Tão nervosa. Ultimamente nada tem corrido bem nas nossas vidas,e esta gravidez que devia ser vista com alegria, esta a ser vista mais como um "empecilho", eu gravida não conseguirei arranjar trabalho... Nunca na minha vida pensei passar por esta situação... Encontrei este site por acaso, e tem sido uma ajuda vital. A partilha de experiências é o melhor tratamento psicológico que por vezes podemos ter....
    Por isso quero vos agradecer... Muito obrigada.

    • 2012-03-13 02:24:5013 Março 2012
    • #167

    Boa noite a todas! Descobri hoje, na verdade à algumas horas apenas, que estou grávida. Já à uma semana que me andava a sentir 'estranha' na zona abdominal, mas como estou a fazer uma dieta pensei que alguns sintomas estivessem relacionados com isso. Tbm já me falhou mais vezes a menstruação, pois tenho problemas de tiróide, mas algo me dizia que o que sentia não era normal, comprei então hoje o teste o gravidez, e deu positivo, pensei que ia cair. Ainda estou desorientada, sem saber o que fazer...sinto-me perdida. Claro que pensei logo na IGV, apesar de nunca me imaginar na situação! No entanto, o pai do 'bebé' é meu ex namorado desde o final do ano passado, mas apenas por vontade minha de sair duma relação nada saudável. Ele é filho único smp 'mandou' nos pais, não gosta muito de trabalhar, mete-se em maus negócios, tem maus hábitos e adora o mundo da noite! Era muito ingénua (tinha 17 anos) qdo comecei a namorar pra ele, mas ao longo do tempo comecei a ganhar maturidade e a conhecê-lo melhor devido aos comportamentos incorrectos e inconstantes dele. Qdo terminei o relacionamento mostrou-se completamente diferente em alguns aspectos, tentou smp que eu voltasse pra relação mas deixei de ter confiança e sei que ele não é um bom futuro pra mim. No entanto, smp continuamos a falar como amigos e há cerca de 3 semanas tivemos juntos e aconteceu, foi um grave erro e apesar de termos usado o preservativo este rompeu e tinha-me esquecido de tomar a pílula 2 dias consecutivos!! Sinto-me muito envergonhada por tal acto de irresponsabilidade!! Mas aconteceu e agr só penso numa 'solução'...a IVG, apesar de ter noção de que será extremamente difícil e que nunca serei a mesma, aliás não sei se serei capaz de me perdoar se o fizer, pois adoro crianças e smp admirei quem teve a coragem pra seguir com uma gravidez apesar de todos os factos. Tudo me passa pela cabeça, menos ter este 'bebé', não me sinto mentalmente nem economicamente preparada. Visto que, tbm me encontro desempregada, acabei uma licenciatura na área da saúde em Julho de 2011 e tem sido muito difícil arranjar trabalho. Então encontro-me a tirar um curso de inglês pra emigrar, porque em casa apenas tenho o apoio da minha mãe, a relação com o meu pai nca foi positiva e ele nca iria aceitar algo assim. Sei que não irei conseguir avançar com esta gravidez, mas tenho medo, medo que me tratarem mal ou me descriminem! Não sei o que fazer neste momento, não posso contar às minhas amigas pois elas são contra o aborto, e gostava de poupar a minha mãe de todo este processo. Ela teve-me exactamente com a mesma idade que tenho, 23 anos, e tbm pensou em abortar pois não fui planeada nem desejada, mas qdo ela falou com o meu pai acabaram por decidir terem-me e casaram-se. Smp senti que o meu pai me trata de forma diferente do meu irmão (que já foi planeado), e a minha mãe muitas vezes sente isso tbm! Este factor tbm me influência a fazer a IVG, mas não sei com quem desabafar e a quem pedir pra ir cmg e me ajudar neste momento tão difícil. Penso claro em não contar ao meu ex, porque sei que ele iria ficar contente com a gravidez e nca aceitaria o aborto, pois significaria que eu teria que estar presa a ele e no fundo pensa tbm que os pais dele irão ajudar em tudo, desta forma tbm ele se pode 'aproveitar' da situação pra obter mais e mais, e eu sei que isso de facto será o mais provável. Mas conseguirei viver com o facto de nunca lhe ter contado?....não sei o que fazer, onde ir, com quem desabafar!

    Só sei que todos os comentários acima me ajudaram a acalmar, porque sei que não sou a única neste situação e há quem em compreenda e não me julgue.

    Muito obrigada por isso!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: sl

    • 2012-03-19 11:54:1619 Março 2012
    • #168

    Bom dia SDSL,

    Li o seu desabafo e compreendo perfeitamente pelo que está a passar....Aliás no mês de Janeiro passei pelo mesmo. Tenho uma situação familiar muito delicada que agora nem interessa estar a explicar. Decidi então dirigir-me ao Hospital Sta. Maria e após várias consultas segui em frente. Dia 31 de Janeiro fiz a medicação e até hoje em casa ninguém soube....consegui esconder tudo....até as dores físicas e psicológicas. Devo dizer que não foi fácil mas é uma decisão que só a si lhe cabe.

    Se precisar de algum esclarecimento ou de alguma ajuda ou até só de desabafar, diga-me.

    Beijinho e muita coragem.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: SDSL

    • 2012-03-23 00:12:5323 Março 2012
    • #169

    Boa noite meninas.
    Tenho 20 anos. No dia 13 de Março também descobri que estava grávida, quando vi o teste senti um misto de sentimentos, senti-me desorientada sem saber o que ia fazer, pois a minha família nunca iria aceitar tamanha falta de responsabilidade da minha parte. Ao mesmo tempo senti-me feliz e confesso que dava comigo a imagina-lo e a acariciar a barriga com um sorriso no rosto. O meu namorado quis continuar com a gravidez, no entanto encontro-me a estudar longe de casa e não tenho independência económica, e se tivesse o bebé teria que desistir de tudo e enfrentar a minha família.
    Prossegui com a ideia da IVG, dirigi-me ao centro hospitalar e iniciei a IVG medicamentosa esta semana. As dores físicas são suportáveis, a hemorragia tem sido normal, excepto ontem que saiu saco embrionário. Sinto que a dor psicológica está a aumentar cada vez mais, condeno-me por ter posto fim à vida do meu bebé, sempre sonhei ser mãe. Estou com muito medo de não voltar a conseguir engravidar ou de desenvolver algum problema em consequência do aborto. Sinto um enorme vazio cá dentro por ter feito isto.

    • 2012-03-30 10:01:3330 Março 2012 editado
    • #170

    Aviso da moderação

    Esta conversa é para testemunhos de quem fez uma IVG ou está em vias de fazer.
    Não é para convencer ninguém a não fazer ou para censurar opções e pessoas.

    Se quiserem falar sobre despenalização do aborto, podem-no fazer aqui: http://forumsaude.com/conversa/801/despenalizacao-do-aborto-opinioes/
    Se quiserem falar sobre alternativas ao aborto, podem-no fazer aqui: http://forumsaude.com/conversa/1258/alternativas-ao-aborto/

    Qualquer comentário que não se insira no espírito desta conversa será APAGADO.
    Este espaço existe para apoiar e não para censurar - se não podem ou querem apoiar, não participem, obrigado.

    • 2012-04-06 13:59:04 6 Abril 2012
    • #171

    Ola, tenho 18 anos e ontem fiz dois testes e deram o resultado que menos queria... POSITIVO, contei ao meu namorado e ele apoia me a 100%, depois de longas conversas com ele, decidimos a realizaçao do IVG, marcamos a consulta no medico para terca, mas tenho muitas duvidas tais como?
    Se fizer a dita 'raspagem' demora quanto tempo, e tenho de la ficar quanto tempo no hospital? pois nao quero que ninguem descubra que eu vou fazer o IVG.
    Se for por medicamententos e muito mais deloroso que a dita 'raspagem'?
    Obrigado mesmoo

    • 2012-04-11 10:29:5311 Abril 2012 editado
    • #172

    Olá, ler os vossos testemunhos ajudou-me mto, obrigada a todas.
    Estou a passar pelo mesmo que voçes e hoje tenho a 1º consulta para poder fazer um IVG (nada de que me orgulhe) tal como mtas de voçes o motivo é a crise e o facto de ter uma filha de 2 anos, se ela fosse maior talvez não optasse por esta via, mas sim ter este bebé.
    Fiz o teste ontem e consegui marcar logo a consulta.
    Gostava de saber se voçes pagaram alguma coisa pelo IVG?
    Obrigada:confused:

  8. Olá meninas, sou uma recém-licenciada em enfermagem. Há algum tempo que acompanho este fórum, na verdade desde que realizei a minha primeira IVG em Maio de 2010. Tomava a pílula certinho. Falhei dois dias. Achei que não haveria problemas. A verdade é que durante 8 semanas, completamente despreocupada mesmo com a ausência da menstruação crescia um ser dentro de mim. Com ausências tão grandes estava a ficar preocupada, pensando ter algum problema hormonal e não por estar grávida. Fiz o teste,por mera brincadeira, e a verdade é que estava grávida. O meu mundo desabou, não sabia o que fazer: a meio de um curso, com um namoro instável, sem trabalho e não poderia de forma alguma contar aos meus pais, pois tinha bastante receio. Depois de alguns dias, e de eu e o meu ex namorado termos discordado em tudo - inicialmente eu não queria o bebé, ele queria, depois já era ao contrário. A única pessoa que me apoiava foi a minha GRANDE amiga de sempre, que esteve comigo... independentemente de tudo. A verdade é que poderia estar aqui a contar a minha história ao pormenor, mas não vou. Porquê? Porque o que pretendo aqui é mostrar que compreendo tão bem a mágoa de quem faz uma IVG, não porque quer, porque ninguém quer isso de livre vontade, mas porque acha que na altura é aquilo que é o melhor para todos, mesmo que essa decisão marque para SEMPRE a nossa vida. Em Outubro de 2011 descobri que estava grávida do meu actual namorado... Condenem-me, sim. Foi pura irresponsabilidade de novo. Falhei a pílula, depois de tudo o que tinha passado, estando a acabar o meu curso de enfermagem, afinal, eu todos os dias da minha vida, aconselho as jovens e as mulheres a utilizarem métodos contraceptivos eficazes... que a IVG não é solução. A verdade é que quando descobri a gravidez, pensei logo: IVG. Mas não consegui. Decidi esperar mais tempo..tinha algum tempo para pensar. O meu namorado queria muito ser pai. Fui em frente, mesmo depois de já ter a consulta marcada na clínica dos arcos. O que aconteceu é que quando ia contar aos meus pais, nesse mesmo dia, comecei a sentir me bastante mal. Fui ao hospital. A médica falou em ameaça de aborto, não ouvia o coraçãozinho do bebé, mas ele ainda estava lá, apesar das perdas sanguíneas. Mandou-me voltar daí a uma semana para reavaliar se seria ou não um feto morto. O sangue continuou e percebi desde logo que o meu bebé já não estava a viver dentro de mim... quando realizei a eco na clinica dos arcos confirmaram-me o aborto e completaram o processo que o meu corpo começara naturalmente. As lágrimas caiem-me quando conto isto. Pois é meninas, ás vezes, a vida é irónica. E é como mulher, e não como enfermeira que dou o meu testemunho aqui.
    O meu objectivo é ajudar todas as mulheres que vão realizar ou já realizaram a IVG, mesmo que seja apenas com a partilha da minha história. Todos os dias me lembro de tudo aquilo que aconteceu. Vivo com mágoa, é verdade. Para mim é uma dor que não desaparece. Eu costumo dizer que ganhei duas estrelinhas e que elas na verdade eram tudo o que eu queria neste momento, mas também não tinha as condições reunidas para os criar. Por isso... coragem minhas lindas. é uma dor que não acaba, mas não se condenem, porque sei, que muitas IVG são realizadas a pensar no bebé, naquilo que ele poderá não ter, porque não vai ter um pai presente, ou porque não há emprego, ou porque não há simplesmente condições.

    Um bebé a coisa mais bela do mundo...assisti e assisto diariamente a partos e ao amor que uma mãe pode ter por um filho.Já realizei muitas consultas de IVG e vivi e sofri juntamente com aquelas mães que estavam a fazer provavelmente a decisão mais importante das suas vidas, sem poder partilhar isso com elas. É difícil... duro. Mas é algo que terei de aprender a viver a vida toda.

    masavi, a IVG é completamente gratuita desde que sejas referenciada pelo centro de saúde/hospital para a mesma através do SNS, se por exemplo recorreres ao teu médico de família ou a algum centro de saúde da tua região que te possa referenciar. Se realizares a IVG sem esse tipo de referenciação é um acto cirúrgico pago, e muito caro.

    rs, a IVG normalmente é realizada de duas formas: cirúrgica ou medicamentosa. Quanto à primeira é relativamente rápida, dura aproximadamente 15 minutos. É realizada com anestesia geral, e no total demora aproximadamente 1 hora - contando com o acto cirúrgico mais o recobro. Poderá correr mal (no meu caso tive de voltar passado uma semana pois não tinham retirado todo o feto e estava a ficar com uma infecção no útero), mas é raro existirem complicações maiores, mas podem acontecer. Quando vais para casa, são fornecidos medicamentos analgésicos e é normal existir dor e perdas de sangue nos dias a seguir. Quanto ao método medicamentoso, não o realizei. No entanto, o que acontece é mais ou menos o que me aconteceu a mim naturalmente. Ao colocar os comprimidos, podes sentir dores e terás perdas sanguíneas - por vezes poderão sair "rolhões".

    Desculpem o testamento e espero ter sido útil:bashful_cute:

    • 2012-04-11 21:11:0911 Abril 2012
    • #174

    Muito obrigado o teu testemunho foi fantastico, tou á espera que me liguem para marcar a primeira consulta para fazer o ivg, ando impaciente e muito nervosa. mas apesar de tudo tenho o meu namorado ao meu lado.

    • 2012-04-12 11:15:5312 Abril 2012 editado
    • #175

    Olá, Tal como a rs estou a aguardar que me liguem para fazer o IVG, fiz hoje as analises que tenho de levar comigo.
    Não paro de olhar para o telefone a ver se me ligam, já li aqui que normalmente ligam logo no dia a seguir.:stress:
    Obrigada FernandesC pela informação.

    • 2012-04-12 19:20:4612 Abril 2012
    • #176

    Quando menos esperares ligam, a mim ligaram me hoje e amanha ja vou a primeira consulta. beijinhos

  9. Olá, se calhar encontrámo-nos lá, eu tb fui hoje à 1º consulta lá, pq já tinha tido a do meu medico de familia.
    Devo dizer que ao contrario do que estava estava à espera todas as pessoas foram impecaveis, só lamento é que hajam pessoas que se plantam lá à porta para nos criticarem, tal como aquele "estabelecimento" que está mesmo em frente.
    Bem, na 3ª feira lá vou eu fazer a 1ª toma e depois volto lá 5ª feira para a 2ª toma.
    Estou bantante anciosa para que tudo isto passe bem rápido, apesar de psicológicamente demorar ou até nunca passar!.
    Beijinhos.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: rs

    • 2012-04-13 19:28:2913 Abril 2012
    • #178

    Ola, tens toda a razao as pessoas la dentro foram impecáveis tentavam brincar comigo para nao ficarmos tao tensas, o que mais me chocou mesmo foi aquele "estabelecimento", eu quinta faço a cirurgia, quero que isto acabe mais depressa possível, secalhar encontrámo-nos la mesmo, havia la tantas raparigas.beijinhos

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: FernandesC

  10. Ainda bem que tudo correu bem. Durante todo o processo, todos os profissionais da clínica foram impecáveis, fui muito bem tratada.
    Desejo que tudo corra bem

    beijinhos:asleep_2:

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: rs

  11. Olá, Hoje lá fui eu fazer a 1ª toma. agora volto na 5ª feira para fazer a 2ª.
    A 1ª fase já está!
    Não gostei mto da medica, sente-se e tome esse comprimido. Podia ter sido mais simpática.
    **

    • 2012-04-17 19:34:5117 Abril 2012 editado
    • #181

    Como correu?
    Tiveste na clinica quantas horas?
    beijinhos

    • 2012-04-18 20:04:3918 Abril 2012
    • #182

    Pergunto-me onde andará a moderação deste fórum que tem vindo a permitir comentários como o do pax, que mostram uma total intolerância e até mesmo falta de respeito pelas pessoas que procuram este fórum em busca de respostas. É completamente inaceitável. Todos nós temos direito à nossa opinião e não condeno a sua, simplesmente está expo-la de forma inapropriada, desagradável e desrespeitosa, não só para as Mulheres que deixam aqui a sua história, como também para com as regras do fórum, já que este é o local errado!

    Aproveito para deixar um enorme beijinho de apoio para todas estas senhoras de coragem!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: FernandesC, afsd

  12. Desculpem todas mas não sou mto tolerante com que não tem que fazer!.

    Pax, alien não digo que sejas mas parvo és de certeza.

    Olá na 1º toma não fiquei lá tempo nenhum, ontem sim, fiquei lá 3 horas que são as horas minimas, devo dizer que podem surgir contracções, coisa que não somos avisadas.
    Mas comigo correu tudo bem, apesar da situação ser a que é! Tenho tb, apesar de achar que eles não conhecem este forum, agradecer a todos os colaboradores da clinica, que são extremamente simpáticos connosco, principalmente ao Sr. João (acho que é este o nome dele). Obrigada por minimizarem esta dor.

    **

    • 2012-04-20 14:44:1320 Abril 2012
    • #184

    pax,

    Leu o aviso que coloquei acima?

    • 2012-04-20 14:58:2120 Abril 2012
    • #185

    Qual FD?

    • 2012-04-20 15:00:4320 Abril 2012 editado
    • #186
    • 2012-04-20 17:23:4320 Abril 2012
    • #187

    não tinha visto mas não me parece bem num forum dedicado à saúde.

    • 2012-04-20 20:15:1320 Abril 2012
    • #188

    Comigo tambem correu tudo 5 estrelas, quando dei por mim ja tinha acordado da anestesia, fui pa sala onde tava raparigas super simpaticas que tinham ido fazer o mesmo que eu, pelo metodo cirurgico. O pessoal la e mesmo 5 estrelas.

    beijinhos e Obrigado por tudo este forum ajudou me imenso

    • 2012-04-21 15:41:4721 Abril 2012
    • #189

    estou grávida e não sei o que fazer. Não quero fazer IVG porque sou contra isso e tenho medo de fazer porque isso vai atormentar o meu estado psicológico. Quero ir para a faculdade este ano e tenho medo que se tiver o bebe que isso interfira nos meus estudos..
    E tenho medo do modo que a minha mãe ira reagir ao souber da noticia...
    Já li todos os comentarios e vi que o aborto afectou a vida de toda a gente e que ainda nao conseguiram superar é por isso que tenho medo de fazer .

    • 2012-04-21 15:45:4021 Abril 2012
    • #190

    Em vez de ires para a faculdade arranja um trabalho para criares o teu bebé.
    A reacção dos pais é sempre a mesma, primeiro vem o choque e algum desconforto e depois da criança nascer é a maior alegria que lhe podes dar!

    O aborto não é nem nunca deveria ser opção.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: RSBS

    • 2012-04-22 03:13:1022 Abril 2012
    • #191

    pois mas sabes , quero continuar a estudar e é o meu sonho ir para a Universidade e sei que um filho irá impedir disso.

    • 2012-04-22 10:51:0622 Abril 2012
    • #192

    tive colegas que engravidaram antes de entrar para a faculdade e não foi impedimento nenhum. tive colegas que engravidaram no 1º ano de faculdade e também não foi impedimento. não percebo o teu raciocínio.

    • 2012-04-22 12:29:0222 Abril 2012
    • #193

    Fala com o teu companheiro, e vê todas as possibilidades, nao é uma decisão que se tome sozinha.

  13. RSBS ja tas com quantos meses? é que este ano ja nao vai dar para ires para a faculdade porque depois o tempo de gestação vai aumentar e se entrares este ano pra faculdade ja nao vai dar pois quando tivereres ja pra i com 9 meses de gestação ainda é o tempo de escola portanto devias era entrar pa faculdade pro proximo ano, e um ano nao é nada na vida de uma pessoa para ir para a faculdade ou nao achas? e depois é so uma questão de conciliares a tua vida com o teu filho e os estudos, se tiveres o apoio de alguem torna-se tudo ainda mais facil...

  14. Olá.. A minha história é idêntica à sua! Estou a menos de 24h de fazer uma ivg! Vivo em união de facto à 4 anos, e à quase 10 meses fui mãe do Ser mais lindo do mundo! Quando soube que estava grávida estava igualmente na mesma situação em que me encontro, eu sem trabalho e o meu marido com os poucos trabalhos que tinha! Mas tivemos o apoio de toda a gente que nos rodeia, passou-me pela cabeça em fazer uma ivg, mas assim que fiz a primeira eco desisti logo desses pensamentos! Agora, devido a um descuido, estou grávida, e ainda com um bebé que depende muito de mim, a vida não está nada fácil, nem tenho dormido, não paro de pensar se me vou ou não arrepender, se vou viver para o resto da minha vida com dor e sofrimento, que mesmo ainda não ter deito já o sinto! Estou me a sentir a pior pessoa em mundo! Mas tenho que ser racional e realista, o meu marido diz para não o fazer, mas os homens por vezes vivem num mundo à parte!:big_grin:

  15. Olá... RSBS não vai ser facil consiliar as duas coisas, mas como em tudo nesta vida tem de haver esforços e opções.
    Se optar por ter o esforço vai ser maior do que será sem ter um filho, mas um filho é a maior alegria que podemos ter, ser fiz uma IVG da minha 2ª gravidez foi por não ter mesmo possibilidade de criar outro filho, se me arrependo? não! Sei que apesar de tudo foi a melhor solução que tomei!, Se choro pelo que fiz? Sim, mas não queria/podia trazer ao mundo uma criança que iria sofrer com os meus erros.
    Penso que para quem não tem filhos, será mais dificil ultrapassar toda esta dor, mas com as dificuldades todas, com uma filha de 2 anos etc, o tempo passa tão a correr que por vezes só me lembro do que fiz, quando me vou deitar, ai sim, choro, e falo com alguem que devia estar a crescer dentro de mim mas não está.
    Nunca vou esqueçer a minha opção, mas está feita!

    • 2012-04-26 12:36:3526 Abril 2012
    • #197

    Boa tarde, vou daqui a pouco ao hospital tentar marcar a primeira consulta.
    Estou aterrorizada... Tentei métodos naturais, através de chás e assim, mas infelizmente nada fez efeito.
    Tenho um medo enorme de contar a minha mae. Nao sei o que fazer!
    Ha imensa gente que me conhece aqui no hospital, visto que é uma cidade pequena e tenho medo que vão contar a minha mãe.
    Tenho 19 anos, não tomo a pilula, uma relaçaõ de dois anos e um namorado que me apoia muito.
    Tenho medo de fazer cirurgicamente apenas por medo que venham a saber! Tenho familiares a trabalhar ho hospital .

    Por favor alguem me dê um conselho rápido! ;(

    • 2012-04-28 17:47:1828 Abril 2012
    • #198

    Ola, nao tens possibilidades de pedir ao hospital para te mandar para a clinica dos Arcos?
    Eu fiz cirurgicamente e nao sentes nada tens umas pequenas dores iguais as do periodo nada mais.
    Espero te ter ajudado.

    • 2012-04-30 12:08:3330 Abril 2012
    • #199

    Não tenho mesmo possibilidade pois sou de Castelo Branco ...
    Obrigado na mesma ;)

  16. Boa Noite,
    Venho aqui, completamente em lágrimas, desabafar um pouco.
    Tenho 24 Anos, e neste momento sou uma jovem aterrorizada, para a qual este "estatuto" não deveria ser utilizado tendo em conta o facto de já não ser novidade para mim uma IVG.
    A pouco mais de 5 meses, fiz uma IVG cirúrgica, na Clínica dos Arcos, que felizmente correu bem, a nível físico não existiram sequelas, só mesmo a nível psicológico, e que hoje em dia doem, e com a "descoberta" de hoje ainda mais....
    Hoje de manhã, após já algum período de desconfiança, fiz o teste de farmácia (só agora tive possibilidade de pagar um mero teste de gravidez de parafármacia - 7 euros :sour: ) e o resultado mais temido surgiu... - POSITIVO. Pensei para comigo, como é possível isto ter acontecido, mas afinal de contas, não é isso que está em questão ( toda a gente sabe como "se faz meninos" ). O que está em questão é como em tão pouco tempo cai no mesmo erro....parece que tudo o que passei não foi nada ( o que é a mais pura das mentiras caramba:crying: ). Eu sei, não usei método contraceptivo, só nas primeiras semanas após a IVG, mas eu com contraceptivos orais não me dou bem ( problemas de fígado, tratado com medicação agressiva que foi um dos principais factores de ter optado pela IVG, o feto poderia ter graves mal formações e risco para mim própria); preservativa tenho alergia ao latex, e por fim anel que era o que em norma utilizava, nos últimos meses não tenho possibilidade económica para comprar. Solução pedida a enfª aquando da consulta pré-IVG - implante! Que acabou por não ir para a frente para a real colocação pois essa enfª especialista tinha que pedir autorização ao não sei que do Centro de Saúde e depois ficou doente, de atestado - conclusão - nada de método contraceptivo, só o método do coito interrompido.
    Hoje, após a confirmação da suspeita, estando a ter muitas dores e alguma perda, vou ao Hospital, médica quer ver a perdas, faz-me mostrar as perdas - logo o penso nas cuecas, assim de porta aberta, depois segue-se a eco endovaginal também em iguais preparos, confirma-me a gravidez, passa-me a eco para as mãos e vai-se embora. A única coisa que me diz é para ir marcar consulta com o medico de familia e não fazer esforços em pegar em crianças ao colo (trabalho com crianças). Posto isto, vim para casa, mais perdida e baralhada, e querer continuar com esta gravidez, pois tenho muito medo de me submeter a nova IVG, porque adoro crianças ( trabalho com elas e derreto-me a ver bebés e para além do mais já fiz estágio em serviço de puerpério que amei), mas ao mesmo tempo, sei que não posso ( condições de saúde - o tal problema do fígado que posso transmitir ao bebé quer seja pela transmissão vertical mãe filho, quer pela medicação), graves dificuldades financeiras, não poder contar com a minha família, e apesar de ter o meu namorado encantador que me dá apoio e me garante apoio do lado familiar dele, me diz que não é boa altura para sermos pais, pois não o poderemos ser em pleno, ele encontra-se desempregado, com o desejo de continuar estudos ( é mais novo que eu têm 22 anos), já passamos juntos a outra intervenção - tenho medo do que isto vai-me fazer, a mim, a minha relação, a minha sanidade mental. Eu quero muito ser Mãe, mas não assim, a viver com a corda no pescoço, e nem sequer dinheiro tenho para pagar a renda... Tenho tantos medos ( eu em prosseguir esta gravidez perco necessariamente o meu emprego, part time, único sustento da casa)...mas tenho medo em mais uma vez abortar, não puder no futuro cumprir este meu desejo em epóca de maior bonança....tenho medo de me tornar uma pessoa mais amarga...todos os que me acompanharam na anterior IVG, ficaram espantados com a minha leveza de reacção perante tudo o que se passou, mas eu, o que fiz foi construir uma capa que mostrasse ao outros o que "eles queriam ver para não ser preocuparem em delonga", e eu não ser um fardo para eles, mas só eu sei o que passei, e o quanto isso me mudou....

    Peço desculpa o testamento, e tanto está ainda por dizer, mas neste momento as lágrimas já não me deixam ver bem o que pretendo escrever....

    Beijos e abraços a todas/os...

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: cattdsf