Participar & Escrever

Ver mais sobre

    • 2011-10-04 19:47:06 4 Outubro 2011
    • #101

    Boa noite.
    Descobri ontem que estava grávida. Mas eu, no meu íntimo já sabia... Não consigo explicar porquê, deve ser a tal intuição. Falei logo com o pai, que é um dos meus melhores amigos. Foi numa noite de copos que nos envolvemos e fomos irresponsáveis. Ele acabou o curso agora, ainda lhe falta o estágio e está a fazer planos para daqui a um ano estar fora do país. Eu estou a acabar o meu estágio, ainda sem qualquer perspectiva de futuro. Vivemos ambos em casa dos nossos pais. E não temos uma relação.
    Eu sempre quis ser mãe. E sempre disse que se me visse nesta situação, nunca abortaria. Mas a realidade é bem diferente. Não é um filme de Hollywood. Eu e o pai chegámos a uma mesma conclusão: por muito que ambos quisessemos ser pais, estas não eram as circunstâncias adequadas, não só por nós, mas pelo ser que está a nascer dentro de mim.
    Hoje de manhã contactei a minha ginecologista que me encaminhou para a consulta prévia na Maternidade Bissaya Barreto. Esperei pouco de mais de meia hora a ser atendida. O médico foi fantástico, deixou-me super à vontade, e respondia às perguntas que eu me ia lembrando (e estava tão em choque que não me lembrei de quase nenhumas). Estou de 7 semanas e 4 dias e a IVG está marcada para sexta de manhã.
    Mas estou com muitas dúvidas, e ler os vossos testemunhos ainda me deixou mais confusa. Eu tentei o suícido três vezes, há cerca de 7-8 anos atrás. Como podem imaginar, os meus pais e a minha irmã já sofreram o suficiente para 100 vidas comigo. E não os quero sobrecarregar com mais um fardo, a IVG.
    Para além disso, a minha irmã está a tentar engravidar há quase 5 anos, e vai ter de fazer fertilização. Que gigante ironia do destino, não?
    Este discurso está completamente incoerente, porque eu própria não consigo encadear correctamente os pensamentos. MAs eu ainda ajo como uma miuda, apesar dos meus 27 anos. Vou pros copos sempre que posso, gosto de sair À noite e dançar. Eu não tenho condições para criar um filho! Não sei o que fazer...Qdo falo com o pai, ele diz.me para ter calma, que o problema se resolve, que fazemos o que eu decidir, apesar de ele achar que não podemos ter a criança.
    Continuar até ao fim com isto seria o maior acto de egoísmo que alguma vez poderia ter: ter um filho só porque sim, porque sempre quis ser mãe, sem pensar em todas as pessoas que ia magoar com essa decisão, especialmente as três mais importantes.
    Depois de ler os vossos comentários, estou em pânico com a IVG medicamentosa. E desculpem a frontalidade, mas sente-se e vê-se mesmo o saco embrionário e o próprio embrião a sair?! Isso está-me a deixar de rastos, porque no dia em que isso acontecer, eu terei a casa cheia de pessoas que não sabem nem poderão nunca saber. E vou passar por tudo sozinha. Dói assim tanto? Dá para estar deitada com um penso higiénico ou tem-se mesmo de estar na sanita? Eu peço imensa desculpa pelo teor das perguntas, mas a parte realmente prática da coisa, só pode mesmo explicar e aconselhar quem já fez...

    Obrigada por não julgarem como eu própria me estou a julgar e por toda a força que transmitem aqui...

    Vamos todas ficar bem.
    Beijinhos.


  1. Olá mfcr,

    Eu passei pelo mesmo e já estava com 9 semanas e 5 dias. Eu senti perfeitamente o saco embrionário a sair, sem dúvidas. Podes ter expulsão total do saco, como eu, ou sair às fracções. De qualquer forma, a hemorragia é grande e chega a um ponto que tens mesmo de ir a sanita. Vais precisar de uns quantos pensos superplus. Aconselho-te vivamente a não passares a noite mais "intensa" (depois dos comprimidos vaginais) sozinha ou com pessoas que não sabem. Tenta ir a casa de uma amiga ou pedir que uma amiga durma em tua casa, acredita que te vais sentir melhor assim. As dores físicas são fortes e não ajuda estares preocupada em esconder de todos em casa.

    Tenho muita pena que estejas a passar por isto, mas desejo-te boa sorte e muita força! Vai correr tudo bem.
    Bjs.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: leia, scfs, tos

    • 2011-10-06 23:08:28 6 Outubro 2011
    • #103

    Boa Noite!
    Desde já quero agradecer a todas o fato de aqui deixarem os vossos testemunhos porque acreditem ou não foram uma GRANDE ajuda a nível psicológico!
    Descobri que estava grávida no dia 19/08....Não queria acreditar...EU?!!!! Impossível.... tomo a pilula..... a dosagem é forte (segundo a médica de família) nahhhhh..... POSITIVO!!!! (esqueci me de duas) .... O meu mundo ruiu.... Acho que enquanto olhava para o teste vi toda a minha vida com e sem bebe.... Quero muito ser mãe mas não já...Não trazer uma criança ao mundo quando eu e o meu namorado não temos (euros) quase nem para nos...OK que os nossos pais nos ajudavam com tudo...mas..... OS PAIS DO BEBE ERAMOS NOS.... Foi uma decisão difícil...Tomada com bastante consciência dos dois lados.... Então decisão tomada dirigi me á Maternidade Júlio Dinis (urgências) devido a fortes dores no fundo da barriga... Eco feita não dava para ver nada a não ser o útero um pouco espesso...Ainda cheguei a pensar em "falso positivo" mas não...estava mesmo gravida.... Fui muito mal atendida por uma enfermeira que provavelmente era mais nova que eu (tenho 29 anos ) a qual me disse para voltar ali passado 10 dias... NÃO!!!!! nunca na vida podia andar mais 10 dias neste sufoco...enjoos...sono...e acima de tudo a ficar com uma barriga a notar se (e bem)....Voltei dois dias depois e fui atendida por uma médica mais velha que verificou a existencia de um "saquinho" muito pequenino, que quase nao tinha tempo ainda para a IVG.... Mas deixou logo marcada a consulta prévia.... Seguiu se uma espera de 1 semana até á consulta.... Mais enjoos....mais sono e mais barriga.... Consulta prévia....Um horror de médica.... Não explicou nada, limitou se a dizer que só existia o metodo medicamentoso e para ler e voltar la na segunda feira (isto foi uma sexta).... Como já esperava este tipo de tratamento, pesquisei, li, pesquisei, fiquei em choque com algumas coisas que li, mas inevitavelmente segui com a decisao de nao levar a gravidez avante.... Seguiu se a 1ª toma... Tinha o meu namorado comigo, (cheia de medo com o que me ia deparar) entro no consultorio e "levo" com uma enfermeira que foi da maior delicadeza comigo, explicou me que estava de 6 semanas, que esta toma era para ajudar na interrupção.... 5 estrelas.... Tive dores horriveis.... :( tudo para quase não sangrar.... Mas um dia antes da 2ª toma á noite lá sangrei um pouquinho para aliviar as dores... Passados tres dias seguiu se a tão receada toma do Cytotec.... Dores; perdas de sangue, dores e mais dores... Físicas e psicológicas.... Fui juntamente com mais 2 meninas para a mesma sala, com a mesma esfermeira 5 estrelas....Foram nos dados 4 comprimidos via oral e sentamos nos á espera que as dores chegassem, que o sangue "descesse" .... Vi as a passar horrores com as dores, a vomitar, diarreia e eu???? Nada....Até me levantar, e ai sim...dores horríveis e sangramento logo.... Levamos todas uma injecção para as dores, e mais 4 Cytotec para fazer via oral passadas 5horas.... Sai da lá "tipo fantasma" segundo o meu namorado.... Só queria chegar a casa.... Soltei logo grandes coagulos na viagem.... Mas acho que o aborto se deu mal cheguei a casa e me sentei na sanita... foi algo demasiado estranho para explicar....um coagulo enorme no qual algo ficou no fundo da sanita como que mais pesado..... Tive que olhar.... Passaram as dores, tive uma perda de sangue como a menstruação a partir desse dia...ora mais forte,ora mais fraca... Na semana passada fui então fazer a ECO para ver se tudo tinha saido, se estava "limpinha" como a enfermeira diz.... NÃO!!! já não existe bebe mas existem restos (14mm) para expulsar.... Fui então atendida também por um medico que me mandou para casa fazer 2 Cytotec dia sim, dia não.... Não tenho qualquer tipo de dor, a nao ser uma ligeira moinha quando os tomo e por vezes solto sangue e outras nao.... Mas vou sempre soltando um corrimento de cor acastanhada(tipo borra de café)....Já liguei para la, a enfermeira diz ser normal por ja não ter "saquinho" para soltar, então estou a perder sangue seco (restos)....Dia 7 de Novembro irei de novo fazer uma ECO para ver como esta tudo, porque o médico quer que faça uma menstruação antes da consulta...Tudo para evitar a temida "raspagem"....È bom saber que não estamos sozinhas, embora tenha tido o meu namorado sempre do meu lado, nunca contei a mais ninguém com medo de represálias....E gostaria de saber se alguma de vocês também teve que tomar algo para expulsar "restos" :( e como correu....
    Obrigado por estarem desse lado..... e a dor psicológica é o mais difícil de lidar :(

    • 2011-10-09 18:14:46 9 Outubro 2011
    • #104

    alguém comentou que a Clínica dos Arcos já não fazia IVG, será verdade.

    • 2011-10-10 12:56:3710 Outubro 2011
    • #105

    Amigas,

    Vou na minha segunda semana pós-IVG. Devo dizer que fisicamente o processo foi menos doloroso do que eu pensei. Amanhã, dia 11, tenho a minha consulta de controlo para verificar e confirmar a expulsão.

    Bem, senti necessidade de vir aqui escrever porque tenho lido também os vossos escritos. E hoje sinto-me completamente devastada. Tentei ser o mais racional possível, e é impossível por de parte os sentimentos em situações destas. Não consigo e nem posso contar isto às pessoas que mais gosto. E sinto-me pela primeira vez a fraquejar... O meu namorado e amigos, dizem que passa... E não me quero entregar à tristeza e lá me vou aguentando...

    Não consigo olhar para um bébé, uma barriga de grávida sem me sentir culpada. Tenho medo de me arrepender. E se eu "deitei" a perder a maior benção da minha vida?

    Hoje preciso de muita força,
    Beijos e abraços a todas que estão deste lado.

    • 2011-10-11 18:03:0611 Outubro 2011
    • #106

    boa tarde,

    quem quiser o meu contacto para conversarmos melhor e desabafar esteja à vontade.

    joanacamarapereira@hotmail.com

    Abraço.

    • 2011-10-11 19:00:3211 Outubro 2011
    • #107

    Boa tarde,

    Tenho 20 anos, sou estudante de psicologia e fiz uma IVG a semana passada. Antes de mais quero agradecer a todos que aqui escreveram, pois ler todas as vossas palavras acaba por se tornar numa grande ajuda.
    Naquelas conversas de amigas sempre disse que se alguma vez engravidasse faria um aborto sem nenhum problema, pois seria a melhor opção. Tenho objectivos que quero cumprir antes de ser mãe, quero ter uma vida estável para lhe poder dar todo o amor e conforto que uma criança precisa. No entanto, quando as coisas acontecem a realidade torna-se tão diferente. Tomo a pílula, mas ocorreram dois esquecimentos que se tornaram suficientes para engravidar. Não queria acreditar. Mas a verdade é que estava grávida. Recorri ao centro de saúde e marcaram-me a interrupção para a semana seguinte no hospital. Esta semana de espera tornou-se na pior da minha vida. Há uma dor tão grande que cresce em nós que acaba por ser inexplicável, pois se tomei esta decisão foi porque era a mais correcta. IVG feita, dores físicas insuportáveis, mas psicológicas também. Ainda tenho dores, vou amanha à consulta para ver se está tudo bem, mas este peso não sai da minha cabeça nem do meu coração. Debruço-me sobre os argumentos, aqueles que não iam deixar que esta criança fosse feliz, mas há algo que me acompanha, que me mudou. Tenho o apoio do meu namorado e de duas amigas, mas quando estou sozinha sinto uma dor, um sofrimento que por mais que tente não consigo explicar. Espero um dia ultrapassar tudo isto apesar de ter noção que nunca o esquecerei. Sim, de facto foi a melhor decisão, mas aquele embrião não sai da minha cabeça. aquela imagem acompanha-me sempre antes de adormecer. Tenho lutado contra esta dor pensando nos motivos, nas razões, mas são muitas emoções juntas. Tenho plena noção que não estou bem e tenho vindo ler todos os vossos comentários.

    Todas vocês são mulheres maravilhosas, cheias de força e que no momento certo serão óptimas mães.
    Beijinhos

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: leia, scfs, cebere

    • 2011-10-11 22:38:4711 Outubro 2011
    • #108

    Infelizmente não se trata de esquecer mas sim de se perdoar a si mesma. Nunca vai esquecer e nunca pense que por não ter levado a sua gravidez que deixa de ser mãe do seu bebé. O bebé é seu e você será sempre mãe. Por mais filhos que tenha nenhum ocupará o seu lugar e a MM vai perceber isso com o tempo.
    O trabalho que agora tem de fazer é o de se perdoar a si mesma. É o mais difícil porque pensamos em tudo ao ponto de nos olharmos para o espelho e pensarmos que estamos a enloquecer.
    Tenha muita calma, Fé e cuidado para por favor isso não voltar acontecer. Não é justo para si e muito menos para as pessoas que fazem parte de si. Dói muito saber que inúmeras pessoas repetem I.V.G sem terem um pouco de discernimento e perceberem que isso é prejudicial a elas mesmas.
    Temos de nos fortalecer e nunca mais arranjarmos forma de nos prejudicarmos.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: CL, cebere

    • 2011-10-11 22:50:3811 Outubro 2011
    • #109

    Minhas queridas amigas mais uma vez os digo por experiência, aborto não é solução. Passamos por uma dor e sofrimento horríveis que não conseguimos sequer explicar. Por favor, ponderem melhor antes de agirem ! Não tenham tantos medos nem receios. Confiem e amem-se a vocês mesmas. Não vivam nem se alimentem apenas do dinheiro e dos relacionamentos falhados. Uma crinaça é o melhor que nos pode acontecer. Nem todas as mães sabem ser mães mas quando lhes acontece uma gravidez é porque algo nós temos de aprender. E desistir e andar na clinica dos arcos ou nas maternidades etc, não é vida pra ninguém nem vos vai fazer bem. Pensem mais na vossa felicidade e não antecipem os problemas. Tudo na vida tem solução menos a morte. Não pensem que é impossível de aguentar. Todo o ser humano consegue suportar todas as situações dificeis com que se deparam. Nunca se esqueçam que a questão não é esquecer o processo da ivg porque isso não resulta. Vamos sempre lembrar-nos de tudo ao mais infimo pormenor. A questão é que temos de nos perdoar !!!! As decisões aparentemente mais fáceis não são as mais acertadas. Um aborto leva-nos ao abismo, mata uma parte de nós e corrói. Somos tantos porque não nos podemos ajudar ?? Porque havemos de fazer uma ivg para depois chegarmos ao ponto de termos que ir ao psiquiátra ou a um terapeuta ?? Amem-se e amem o que vocês carregam. Sem medos ! Não vivam dependentes dos outros mas sim de vocês mesmas.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: CL

    • 2011-10-12 17:52:0412 Outubro 2011
    • #110

    Olá a todas.

    Leiam as palavras sábias da jnbc. Aqui também fala a voz da experiência, de quem já passou por duas IVG, uma medicamentosa e outra cirúrgica, sendo tudo também muito recente. Mas hoje, tenho consciência de duas coisas, que por muitos problemas que tenhamos e que nos levem a tomar essa decisão, o sorriso e o ter no colo, um filho nosso, apaga todas as mágoas, rancores e medos e temos alguém com um amor puro para nos fazer lutar. Ao contrário de quando fazemos uma IVG, ficamos com mágoa, rancor, desilusão dentro de nós, e não temos ninguém que nos possa ajudar por mais que estejam ao nosso lado. E se engravidamos, por algum motivo é, não acontece por acaso. Foi com estas duas certezas com que fiquei, e sei e tenho noção que alterei a história da minha vida, mas infelizmente o tempo não volta atrás.
    Entretanto se precisarem de mais informações, estou aqui para isso, para vos ajudar. TENTAREI FAZER O MEU MELHOR!!

    Beijinhos de força para todas...

    CL

    data-ad-client="ca-pub-8057434045421582" data-ad-slot="3064784842">

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: fca, cattdsf

    • 2011-10-12 18:45:4012 Outubro 2011
    • #111

    boa tarde, descobri que estou gravida, preciso fazer uma IVG, mas queria fazer sem ter que ir ao hospital, alguem pode dizer-me como comprar cytotec?
    obrigada

    • 2011-10-12 20:36:2012 Outubro 2011
    • #112

    OP...não faça isso, vá no hospital da sua residência, uma IVG é um processo muito complexo e pode ter complicações, não é facil nos dirigirmos aos hospitais para fazer uma IVG, mas é muito mais seguro pra vc, ter um acompanhamento.

    • 2011-10-12 21:38:2612 Outubro 2011
    • #113

    op, por favor pondere bem. Parece que está demasiado apressada e não racional. Deixei o meu e-mail e deixo-o outravez: joanacamarapereira@hotmail.com

    Se precisar de falar e de ajuda contacte-me que estou disponível para isso. Aguardo uma resposta sua.

    Abraço.

    • 2011-10-17 15:55:5717 Outubro 2011
    • #114

    Depois de tudo o que li, não vou fazer mais comentários... a cada mensagem vossa tirava um bocadino e escrevia o meu exemplo! A vida as vezes prega-nos partidas e de que maneira... coragem para todas e muita força

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: CL

  2. Boa tarde, LM , Descobri q estou gravida hj de manha e estou desespereda ja tenho 3 filhas e nao tenho condiçoes de ter + gosatria q alguem me ajuda-se nesse momento.....estou desempregada e nao sei o q vou faze alguma opiniao.......por favor me ajudem....devo estar de 4 semanas...

  3. Desculpe , o meu e-mail e xanddy_luci@hotmail.com, sera q dava me passar o endereço da clinica do arco por favor

    • 2011-11-14 16:56:5314 Novembro 2011
    • #117

    ora aqui está um caso em que concordo com a matança do bebé

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: Luci melo

    • 2011-11-14 18:18:0014 Novembro 2011
    • #118

    Olá Luci Melo.

    Com esse tempo de gestação, pode se dirigir a um hospital, e fazer a IVG sem efectuar qualquer tipo de pagamento, visto estar numa situação precária. Embora que muito provavelmente vão lhe efectuar a medicamentosa. Mas tem mesmo a certeza que é isso que prefere, mais a mais já á mãe, sabe como é o amor por um filho...

    Sei que é dificil em tempos como os que correm, e com o contra-relógio contra nós (porque temos que decidir em pouco tempo o que vamos fazer em relação á gravidez), mas tente manter a cabeça fria e o coração quente.

    No que eu puder, ajudo-a.

    Beijinhos de força
    CL

    • 2011-11-18 16:57:2118 Novembro 2011
    • #119

    Boa Tarde

    se estou aqui a comentar é porque estou perante a situação de estar grávida e termos tomado a decisão de ir fazer uma IVG.
    Tenho 40 anos e 2 filhas , de 18 e 13 anos.Sempre tomei a Pílula e nunca fiz descanso, apenas quando me preparei para ter as minhas filhas.Nunca fui muito rigorosa na toma da pílula, esquecendo-me de tomar 2 a 3 dias seguidos e depois tomar todas em falta e até hoje não tinha acontecido nenhum imprevisto.O mês passado tive uma gastrite e andei 3 dias a vomitar e diarreia , mas nunca me passou pela cabeça que isso poderia prejudicar o efeito da pílula.Terminei a pílula no domingo e na quarta , ou quinta esperava o perido menstrual , como normalmente, espanto meu não apareceu......e parece que se fez um clic na minha cabeça......"este mês andei mal do estômago!!!!".....Pois, ontem fiz o teste e ""dois riscos, um bastante acentuado o outro nem por isso....mas resultado final...Positivo".
    Estou numa relação estável com o meu companheiro, vivemos juntos e sempre falamos que daqui a 2 dois anos seria a altura ideal para termos um filho em comum.As minhas filhas foram planeadas, porque acredito que um filho é um filho e que merece tudo que tem direito, e que os pais tem que ter os meios para lhe proporcionar tudo que precisa.Amor, carinho, atenção .....não concordo quando se diz"onde come 2 come-se 3 e tudo se cria".....Não é só de comida que se cria um filho, é preciso tudo e esse tudo é que os pais tem que lhe proporcionar no seu melhor.Então depois de passarmos a noite inteira a falar, decidimos que não estamos preparados para sermos pais a 100%, que a nossa estabilidade financeira não está estável e é injusto sujeitar um filho aos nossos problemas.Pensamos assim, não sei se é o certo ou errado....mas ter um filho por ter , ou porque aconteceu um i,previsto...é injusto para a criança.Neste momento estou desempregada , com o fundo desemprego prestes a terminar, com as perspectivas de encontrar emprego reduzidas, pois com 40 anos já sou velha, com o meu companheiro numa empresa a contrato que termina em Janeiro e comas duas filhas a nosso cargo....era cruel ter o filho e saber que ele não iria ter tudo que tem direito.
    Depois de pesquisar pela net , para perceber por onde devia começar......decidi ir ao meu centro de saúde da minha área.Não sabia se tinha que marcar consulta para minha medica, se era com a equipa de enfermagem, estava perdida e sem saber a quem me dirigir.Fui ter com a sra administrativa e disse o que pretendia e ela começou a falar baixinho, para ninguém ouvir, parecia que era ela que tinha feito a pergunta e não eu.Marcou-me uma consulta para a medica que estava na urgência e assim foi.Fui recebida por uma medica , contei o que pretendia e ela perguntou-me qual o dia da minha ultima menstruação, respondi ,dia 17 de Outubro, fez as contas e disse-me que estava de 4 a 5 semanas , que precisava de fazer uma analise ao sangue e uma ecografia.Entre o dar-me os papeis para ir fazer os exames, começou a provocar-me, o que ela própria disse no fim que me tinha que provocar para perceber a minha decisão.Não foi agressiva, apenas me fez questionar se queria ir em frente ou não.Disse-lhe que entendia a posição dela , mas que a nossa decisão estava tomada, e está tomada mesmo.Não me sinto menos mulher ou culpada por ter tomado esta decisão.Tento não pensar que tenho algo dentro de mim, tento não passar perto de espelhos, para não ver a minha figura, o meu corpo .......encaro este momento da minha vida como um caminho que tive que escolher, que foi uma opção minha (nossa) e só isso me dá força para encarar este processo.Pois eu tive opção.Optei por esta que achamos que é a melhor , tal como á 18 e 13 anos pela outra opção.
    Ja tenho os exames marcados para segunda feira e depois com os resultados , vou novamente ao meu centro de saúde mostrar e depois como a medica disse serei encaminhada para a maternidade.
    Achei este forum ou melhor que encontrei na net, os depoimentos que li e achei que era o sitio indicado para partilhar este momento da minha vida.
    Quanto ao apoio, tenho o meu companheiro 100% e a minha filha mais velha, que ontem falamos com ela explicamos a situação e a nossa decisão e que me vai acompanhar em todo o processo.

  4. Olá a todas.
    Eu não passei por uma cirurgia, mas tomei comprimidos para abortar. Só que no fim eu não estava grávida naquele momento, apesar da certeza de que estava. Mas passei por muita tristeza e não há um momento na minha vida agora em que eu não sinta como se tivesse traído minhas convicções, pois sempre fui muito contrária ao aborto. O que eu passei me serviu bem de lição pra não julgar os outros, pra não condenar ninguém, pois ninguém sabe o que o outro está passando. A questão é que apesar de não ter abortado quando tomei os remédios, me vem à cabeça que eu abortei antes, por causa de umas coisas que eu fiz como tomar banho de chuveiro bem quente, fazer um movimento circular na barriga com a mão e tomar um chá fervendo também. Mas nunca vou ter certeza, pois me veio um sangramento na época em que minha menstruação deveria vir (não tive atraso nenhum), e eu julguei não ser minha menstruação por ser tão pouca, meio coagulada e antes os meus seios tinham ficado mais sensíveis do que o normal. Fiz um teste de farmácia uns cinco dias depois de ter me vindo esta menstruação estranha e deu negativo. Mas eu tinha certeza que estava grávida e o teste que estava errado, na minha cabeça.
    Como deu pra perceber eu sou uma pessoa extremamente ansiosa, e fiquei desesperada enquanto estava tendo a relação que eu imaginei ter me engravidado, com a certeza de que isso ía acontecer. Eu estava saindo com um cara e gostava muito dele, e além do mais sou incapaz de dizer não, sendo que eu tinha medo que ele me deixasse. Pra mim as coisas estavam se encaminhando bem e a gente se gostava, eu queria que a gente estivesse namorando e tal, mas ele me falava que queria esperar mais um pouco pra namorar porque tinha acabado um relacionamento longo recentemente (é, e eu acreditei :/). Eu sou bem sozinha, e a gente se dava tão bem, pensei que seria a hora pra eu ser feliz no amor. Mas então, eu contei pra ele das minhas suspeitas e ele disse que caso eu estivesse era melhor ter, que ele não queria que eu tívesse que passar por um aborto, por ser perigoso pra mim. Fiquei bem feliz quando ele falou isso. Mas tudo bem, daí me veio essa menstruação estranha e a minha suposição de gravidez estava se firmando, pois eu tinha os sintomas. Pode ser que tudo tenha sido psicológico também. Só que quando marquei de novo com ele pra gente conversar ele não me respondeu mais. Nunca mais deu notícias. E eu fiquei em pânico, pesquisava na internet sobre métodos abortivos. Me doía o coração, eu era muito egoísta por ter escolhido isso, porque sempre que eu via os métodos me sentia mais esperançosa que aquele pesadelo ía acabar. Carreguei todo esse peso e não via ninguém pra quem pudesse contar isso, todos me recriminariam, e eu não confio em ninguém o suficiente pra confidenciar. Na minha visão tinha que resolver isso sozinha. Foi então que eu resolvi pedir os comprimidos através de internet, ía fazer o procedimento sozinha. Mais angústia esperando o medicamento chegar. Daí chegou, e eu tomei aquele primeiro. Horrível, meu mundo caiu, li em algum lugar que ele privaria o feto de alimentação. Eu privando uma vida inocente de alimentação, eu que tantas vezes chorava ao ver cães de rua abandonados, tratando desta maneira meu próprio filho! Gostaria de explicar que eu não estava grávida a esta altura, como falei no início do meu texto. E depois que tomei o segundo passo da medicação então, aguardando vir o sangramento e nada. Só aquele barulho no estômago, aquela dor na barriga. Pensei que não tinha dado certo e que eu teria um filho deficiente. Meu Deus, a essa altura, pensei em marcar uma clínica da qual ja tinham me passado contato - clandestina. Só que fui fazer a ecografia e deu que eu não estava grávida. Nem acreditei, fiz o exame de sangue pra confirmar (o que já deveria ter feito no início das suspeitas). Fiquei mais tranquila, era como se tivesse sido me dada outra chance, mas eu carrego comigo o fardo de ter tentado de outras maneiras e que é possível que eu tenha abortado. Por isso mulheres, pras que fizeram e sentem dor, eu só posso pedir a Deus que console seus corações. Dói muito, ainda mais que a experiência de vocês foi concreta e vocês tem certeza do que aconteceu. A incerteza corrói o meu peito, e mesmo que eu não tenha abortado e tudo o que passei tenha sido psicológico, com certeza estou tendo sintomas do pós-aborto: uma culpa, um vazio, sensação de amortecimento, não consigo mais pensar, é como se eu não pudesse mais ser feliz: nada do que eu faça tem graça, sentido. O mundo não parece mais real, é realmente um buraco no peito. Um aperto muito grande no coração, esta noite passada mesmo sonhei que estava tendo sangramento e não queria olhar pois me parecia que era um aborto. É uma vida desgraçada, e eu sou do tipo que é bem radical, não vou poder me perdoar por isso. E essa minha ansiedade doentia, sempre sonhei em ser mãe, mas andei pensando e do jeito que isso me perturba se eu ficar grávida vou ter um filho possivelmente com algum distúrbio grave emocional, tamanha minha insegurança e falta de estrutura psicológica. Escrevi esse texto aqui como forma de contar pra algm mesmo, sendo que tenho carregado isso sozinha, desde que me ocorreu nada mais me interessa, estou amortecida, desesperada. Me sinto tão fraca por ter fugido disso.
    Por isso, como já foi dito antes nesse tópico, eu também digo que ABORTAR NÃO É A SOLUÇÃO. Parece brincadeira quando você lê isso de alguém que já fez né, hipocrisia? E também parece que é algo que quando vc fizer tudo vai voltar a ser como era antes, isso vai ser passado. Não, isso é um fantasma que vai te atormentar. E dói muito, eu estou muito ferida. É uma dor que eu realmente não achava que poderia suportar, me parece que não vou durar muito tempo mais.

    Enfim, vocês que estão pensando em fazer, é uma experiência terrível. Se eu fosse aconselhá-las diria para não fazerem, é claro que a escolha é de cada uma e a gente não tem a noção do que vai passar, de como isso rasga o coração e deixa uma ferida que nem vai cicatrizar. Mas é claro que isso vai de cada uma, eu to dizendo segundo o que eu passei, e eu não acho que exista inferno pior em vida do que esse.

    Força pra vcs que já passaram por isso, que possam seguir de cabeça erguida e reconstruindo a vida. E muito obrigada por compartilharem suas estórias de vida, assim a gente se sente menos sozinha.

    Eu me senti muito sozinha durante todo o tempo em que pensei estar grávida, a pior coisa que tem é ser abandonada pelo homem que de quem vc gosta e ter q encarar o fato de q ele não gostava de vc além de ter que encarar o que está acontecendo, pensar no futuro, que vc vai ter um filho sem pai. É muita coisa junta..

    Desculpem pela dimensão do texto, mas era algo que estava entalado na minha garganta e agora estou compartilhando. Obrigada pelo tópico também, e se alguém quiser conversar meu email é infinitesorrow1@hotmail.com

    • 2011-11-26 22:40:1326 Novembro 2011
    • #121

    Boa noite, desde já agradeço a todas as mulheres que tiveram a coragem de virem a este site, para dar a conhecer o seu testemunho para um assunto que a nivel psicologico perturba bastante...tenho 27 anos sou casada e tenho um filho de 2 anos, considero-me uma pessoa responsavél e nunca deixei de tomar a pilula, mas há 2 meses atras fui submetida a uma cirurgia e com tanta medicaçao que me deram para as dores, o efeito da pilula foi cortado, bastou uma unica vez e engravidei, semanas depois começei com dores nos seios, um mal estar geral e enjoos, como já estive gravida uma vez calculei o que se estaria a passar, mas com algum receio de saber a verdade e sempre com a esperança que talvez fosse da minha cabeça deixei passar dois dias ate fazer o teste de gravidez..foi entao que resolvi fazer o teste com um medo terrivel da confirmçao que eu tento temia, embora já soubesse que de certeza estaria gravida...e como é obvio os dois tracinhos era inconfundiveis, fiquei sem reacçao, quando nos vimos nesta situaçao temos sempre um restinho de esperança que nao seja nada, mas como todas voces nao foi o que aconteceu...o meu mundo desabou, so perguntava ao meu marido o que iriamos fazer a nossa vida...as coisas nao estao faceis e com um filho e neste momento desempregada, outro filho agora era impessavel...pusemos logo a hipótese do aborto...tentei me acalmar, e fui investigar a net o que iria fazer, liguei para o hospital da minha localidade onde, fui informada que teria de ir a uma consulta para ser observada e reencaminhada para a clinica dos arcos...e no outro dia la estava eu na consulta com o meu marido, nao senti qualquer tipo de descriminaçao, embora a medica que me observou fosse um pouco fria, fez me a eco e eu tive a coragem de olhar para o ecrã...foi uma sensaçao estranha saber que estava gravida, que tinha um bebe mas que nunca o iria ter:frown: para minha surpresa a medica olhou para mim e disse-me ainda e uma coisa tao pequenina tem a certeza que quer tirar?sao so 4 semana e por vezes isto sai por si...eu estranhei pelas minhas contas teria 5 a 6 semanas e pelo tamanho?hummm nao me parecia, como e obvio fui para a frente... marcação de consulta previa para o final da semana...os dias a passarem, eu a saber que estava gravida mas que teria de tirar...foi sem duvida as semanas mais dificeis da minha vida:frown: o dia da consulta chegou e para confirmaçao ja estava de 5 semanas, depois das analises feitas duvidas tiradas...marcaçao para a outra semana...e assim foi, o dia chegou estava nervosíssima, um medo uma angustia se apoderavam de mim,e mesmo sabendo que iria tirar o bebe inconscientemente ele ja fazia parte de mim é complicado de perceber mas e a realidade...fiz pelo metedo cirurgico, com anestesia local, nao me doeu nada, apesar de estar super nervosa, nao demerou nem 5 minutos, o medico as enfermeiras as auxiliares sao impecaveis, dao-nos mt conforto e nesse momento bem precisamos,so pensei no fim de ter feito o k fiz: que deus me perdoo nao e facil...a nivel fisico nao tenho qualquer dor e ja passaram 4 dias, a nivel psicológico ainda doi muito, nao consigo olhar para bebes, mulheres gravidas, mas para alem do meu marido que me tem apoiado bastante, o meu grande apoio e o meu filho e nele que vou buscar forças para ultrapassar esta dor embora ache que ela vai sarar com o tempo mas ficará marcada dentro de mim para o resto da minha vida:crying: muita força para todas as mulheres que já passaram por isto como eu as entendo... muita força!!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: leia

    • 2011-11-29 00:17:4729 Novembro 2011
    • #122

    Olá a todas,

    Para quem leu a minha história... hoje estou aqui... não aprendi nada... o arrependimento quase me mata. Sei que algumas me entendem... Se soubesse o que sei hoje... jamais...
    Sonho tantas vezes com aquele BéBé. Ainda não consegui perdoar-me.
    Troquei algo que não tem troca...
    Desculpem por não poder partilhar um final feliz, mas eu não sou todas...
    Arrependo-me? Todos os dias!
    Mas compreendo... TUDO!
    Desejo o melhor para todas vós.
    Ainda não consegui perdoar-me...
    Muita Luz para todas.

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: jnbc, cpinto2

  5. POR FAVOR PRECISO DE DESABAFAR COM ALGUÉM MINHAS MÁGOAS!!!

    A minha história provavelmente não é senão mais um dos vários testemunhos que existem sobre este tipo de prática, e bem sei que muitas mulheres se sentem como eu...
    Há cerca de um ano, com os meus 18 anos quase acabados de fazer, engravidei de um rapaz que, apesar de já estar comigo há 2 anos, jamais teria demonstrado vontade ou maturidade para ter algo sério comigo.
    Mantínhamos uma amizade colorida, onde os sentimentos eram postos de lado.
    Acontece que, tal como muitas pessoas pensam, eu não fui excepção à regra e quando o meu período menstrual se atrasou eu não liguei, julgando que fosse um atraso - e o mais irónico é que o meu período sempre fora regular, mas claro, nós achamos sempre que só acontece aos outros...
    Apenas no dia 24 de Janeiro tive coragem para fazer um teste de gravidez que, obviamente, anunciou um resultado positivo.
    Nem sei o que senti nesse momento. É uma sensação horrível, tantas são as interrogações e as dúvidas que nos começam a bombardear (e note-se que eu já estava grávida de 9 semanas, ou seja, estava bastante sensível). Mas, de facto, era algo do qual eu já deveria estar consciencializada, uma vez que os sintomas eram evidentes - eu simplesmente não queria aceitar!!!
    Acabei por contar tudo ao rapaz, tal como aos meus pais, que reagiram de forma muito distinta.
    A minha mãe apoiou-me incondicionalmente, ao invés do meu pai que sentiu vergonha e não conseguiu dirigir-me palavra durante semanas. Foram momentos de desespero e dor profunda. Ouvi coisas que jamais esperei ouvir, e os meus choros e revolta eram constantes: "Porquê a mim? Porque é que isto me aconteceu? Eu preciso de apoio, será que ele não consegue ver isso?"
    Ainda pior que tudo isto foi o facto de não ter apoio psicológico nem monetário do suposto pai da criança. Na altura, ele era um rapaz com 19 anos, com um emprego que lhe dava um bom salário, e alguém que eu julgava ser responsável e maduro... Tamanha ilusão, ou melhor, tamanha desilusão que eu fui ter!!!
    Senti-me abandonada, triste, e se não fosse a minha mãe não sei o que seria de mim - de facto, mãe é tudo.
    Recorri ao Centro de Saúde no dia seguinte, após confirmar a minha gravidez. No entanto, necessitava de falar com uma psicóloga que de momento se encontrava de férias - e, embora não tivesse a certeza de quanto tempo estava naquele momento (só soube ao certo no dia em que abortei), eu tinha uma noção de que o tempo de gestação já era longo. Eu não menstruava desde início de Novembro, portanto tinha que arranjar uma outra solução, já que a IVG só é feita até às 10 semanas.
    Acabei por conseguir entrar em contacto com uma clínica em Badajoz, que fica sensivelmente a 60km da zona onde vivo. Pareceu-me a mim a solução mais rápida e eficaz. Em Portugal também existe a mesma clínica, porém em Badajoz todo o processo se desenrrola num só dia (além da distância ser menor).
    Dia 1 de Fevereiro foi o dia do meu aborto. Um dia que jamais irei esquecer.
    Inicialmente, o meu único pensamento era: "eu quero livrar-me disto o mais rapidamente possível!!!"
    Cheguei à clínica e fui rapidamente atendida. Um ambiente bastante profissional, onde fui muito bem tratada, de facto.
    Inicialmente foi feita uma ecografia, que anunciou 10 semanas de gravidez, e de seguida falei com um psicólogo, fiz uma recolha de sangue para averiguar qual o meu tipo sanguíneo e voilá - sala de operações.
    Preferi fazer uma aspiração com anestesia geral, uma vez que não queria, de forma alguma, ter recordações daquela operação. E, em menos de 5 minutos, adormeci profundamente, acordando 1 hora e pouco mais tarde.
    Acordei aliviada, mas meio deslocada, nostálgica. Eu sabia que o meu ''pesadelo'' tinha acabado - mal sabia eu que outro, mais tarde, iria começar.
    Senti dores horríveis nos primeiros dias após a IVG e perdi algum sangue. Porém, correu tudo bem, e após isso a minha menstruação voltou e até à data tem sido regular, sem quaisquer tipo de complicações.
    Fisicamente, tudo impecável. O pior mesmo é a parte psicológica...
    Se inicialmente fiquei bem, hoje em dia, e passado meses - quase um ano, a verdade é que sinto um enorme vazio e penso constantemente em como seria a criança, invadida de culpa. Embora a situação fosse muito complicada, a verdade é que eu tinha o apoio da minha mãe. E o meu pai, mais cedo ou mais tarde acabaria por aceitar. E o rapaz teria que tomar outra atitude, consciencializar-se e falar com a mãe - esse sempre foi o grande ''medo'' dele, já que entre eles existiam alguns dissabores. Ainda assim, tudo acabaria por tomar um rumo, e apesar da sua atitude cobarde, certamente que ele daria um bom pai.
    Enfim, tudo suposições que me matam por dentro...
    Era nova de mais, ingénua de mais - e verdade seja dita, só compreendemos realmente as situações quando passamos por elas.

    Desculpa "filho" por não te ter deixado viver. Garanto, de facto, que jamais repetirei um acto destes, pois dói de mais. Mãe é mãe, ainda que o filho nasça ou não.

    • 2011-11-29 21:23:5329 Novembro 2011
    • #124

    Olá a todas que escreveram últimamente...

    Reparo que os sentimentos repetem-se, as palavras e os actos. Fez hoje dois meses que abortei. Tudo fiz, e disse interiormente, para não me culpabilizar. E pelo que leio aqui, o nosso maior medo é o sentimento de culpa. E a culpa pesa...

    Ás vezes tenho a certeza absoluta que tomei a decisão mais acertada. Não podia ter esta criança, não nestas condições.

    E depois, quando vejo uma grávida, bébés... "ai se eu desperdicei a maior benção da minha vida?

    Tudo depende das nossas convicções. Não acredito que nenhuma de nós o tenha feito "levianamente", de ânimo leve, só porque sim.

    Foco-me no futuro, mas desta mágoa sei que não me consigo livrar. Mas penso, como em tudo na minha vida: de uma situação má, vou tirar uma boa lição para a vida. E esta situação aumentou a minha vontade e convicção em ser Mãe.

    Vou ter os meus filhos um dia... mas vou sempre pensar na primeira vez que gerei vida e não a permiti, sem culpas.

    Foi bom voltar aqui e escrever, porque assim sei que alguém vai compreender o que digo.

    "Em todas as lágrimas há uma esperança", por Simone de Beauvoir

    Que Deus nos ajude sempre.
    Abraços
    "Leia"

    • 2011-11-30 01:28:5530 Novembro 2011
    • #125

    Boa noite.
    Eu estou numa situação muito complicada...
    Fiz IVG em Maio na clinica dos arcos pelo SNS e correu tudo bem, passei a tomar a Cerrazete em junho para depois por o implante, mas parece k algo correu mal e ...
    estou grávida de novo...
    Eu não posso, nem kero levar esta gravidez adiante, mas não tenho meios financeiros para pagar uma IVG.
    Alguém me sabe dizer se é possivel fazer outra iVG legalmente pelo serviço nacional de saúde????
    Eu estou desempregada, tenho uma filha de 9 anos a meu cargo e... o meu amigo não sabe de nada, nem lhe kero contar...
    Por favor, preciso muito de ajuda!!!

    • 2011-12-02 10:24:18 2 Dezembro 2011
    • #126

    Bom dia bm,fiz uma i.v.g na clinica dos arcos pelo sns no dia 24 de novembro,e acabei por conhecer mulheres que já tinham feito antes também pelo sns e que estavam a fazer novamente por esse sistema,pelo que parece é possível sim,porque a lei diz que todas as mulheres tem o direito de realizar a i.v.g pelo sns independente da sua situação financeira ou legal,e não se estipula nenhum "limite" de intervenções,se ainda tiver dúvidas ligue na clínica dos arcos ou vá até o seu centro de saúde,e se não quiser passar pelo médico também não é preciso,eu apenas passei com a enfermeira de planeamento familiar,mas dou-te um conselho mude de pílula:wink:!

  6. Boa Tarde,

    Não sei se estou grávida mas tenho muito receio de fazer o teste e dar positivo. As probabilidades de estar seriam muito poucas mas....
    Gostaria de saber se eventualmente tiver de fazer uma IGV se indo directamente à clinica dos arcos posso fazer e optar por cirurgia geral?
    Sei que se fôr directamente lá possivelmente terei de pagar como privada ou posso mais tarde pedir no centro de saúde, é que isto já deve ser um processo tão doloroso e o centro de sáude funciona mal e não têm atendimento rápido que se tiver que ser preferia fazer o mais rápido possível porque o factor psicológico anda muito alterado, aliás vocês sabem como é.
    Sempre tomei a pílula desde os meus 25 anos quando à 2 anos e meio tive o meu filho foi porque quisemos( eu e o meu marido) e foi muito desejado e ao parar a pílula em 2 meses estava grávida. Agora dia 14 tive uma infecção urinária e tive de tomar antibiótico que dois dias depois andava a vomitar e diarreia porque me atacou o estômago. Dia 17 e 18 tomei um outro que apesar de ser mais fraco ainda me causou náuseas que acabaram quando terminei. A menstruação era para ter vindo a 29 de Outubro e veio a 23 de Outubro isto porque vomitei o antibiótico e a pílula tb deve ter sido expulsa e segundo a farmacéutica o motivo de ter vindo uma semana antes porque o organismo entendeu que tinha terminado. Só tive relações sexuais dia 28 de Outubro, a semana de descanso da pílula e mesmo assim usei preservativo, mas rebentou, por precaução tomei a pilula do dia seguinte 10 horas depois. Não tive qualquer sintoma depois da toma e inclusive nunca parei de tomar a pilula, fiz a pausa apenas na altura indicada como sempre se faz. A menstruação deveria de ter vindo dia 26/27 de Novembro e até agora nada, ando em pânico e super stressada. Ainda não ganhei coragem de fazer o teste da farmácia porque tb pode não ser conclusivo tendo em conta a quantidade de hormonas da PDS. Tenho nos últimos dias sentido algumas moinhas no baixo ventre como quando vem a menstruação mas até agora nada.
    Digam-me a vossa opinião.

    Obrigada

    • 2011-12-02 15:12:28 2 Dezembro 2011
    • #128

    Boa tarde cmonteiro,se vc tomou antibiótico e ainda teve vômitos e diarréias,tem grandes possíbilidades de estar grávida,pois os antibióticos anulam o efeito da pílula tal como o vômito e diarréia,faça o teste,se der positivivo vá ao centro de saúde o processo é rápido,no meu caso demorou 10 dias entre eu ir ao centro de saúde,hospitala pegar o termo de resonsabilidade e 1ª consulta na clínica dos arcos,fui muito bem tratada por todos e na clínica dos arcos foi 10 estrelas todo o atendimento,tive muito apoio de todos os proficionais e optei por anestesia geral,muito tranquilo e saimos sem muitas recordações.Te desejo tudo de bom.:wink:

  7. Olá Ninha,

    Obrigada pela tua rápida resposta. De facto quando vomitei foi resultado do antibiótico, claro que deve ter anulado o efeito da pílula e de 16 a 26 de Outubro não tive relações sexuais. Dia 27 quando tive relações sexuais usei preservativo mas rebentou (semana de descanso da pílula) e no dia seguinte (10h após a relação) tomei a Norlevo. Acontece que segundo li e reli na net existe um descontrolo de hormonas. Conheço uma pessoa que atrasou o período 3 semanas... mas eu não consigo estar mais tempo sem saber.
    Podes escolher anestesia geral no caso da IGV ou o médico é que decide?
    Obrigada

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: ninha

    • 2011-12-02 19:05:23 2 Dezembro 2011
    • #130

    Boa Tarde a todas.

    Tenho 19 anos, sou aluna do ensino superior e infelizmente, tal como todas vocês, engravidei.
    Não me esqueci de tomar a pílula pois uso o anel vaginal que funciona como contraceptivo que liberta diariamente as mesmas hormonas que a pílula para evitar esquecimentos.
    Há umas semanas atrás comecei a sentir-me muito enjoada e muita vontade de urinar mas como uso o anel vaginal parecia-me impossível ter engravidado... Chega o dia de retirar o anel, ou seja, o dia da menstruação e nada! Como ando em altura de exames, parece-me um atraso devido ao stress e resolvo esperar. Na quinta feira passada resolvo fazer um teste que dá positivo. Eu e o meu namorado não podíamos acreditar! Sempre fomos tão cuidadosos!
    Liguei para o hospital, marquei consulta que se realizou na quarta-feira. A médica nem olhou para mim, fez as perguntas obrigatórias, fez-me a eco e informou-me que estava de 6 semanas. Muito arrogante e impaciente, perguntou-me se queria mesmo realizar a ivg e deu-me os comprimidos para que tomasse em casa. Disse que não valia a pena ter a segunda consulta.
    Tomei ontem o primeiro comprimido e custou-me imenso... é um desgaste emocional muito grande! as dores foram imensas mas o pior está a ser hoje... Coloquei os 4 comprimidos vaginais e a hemorragia começou há umas horas mas é mesmo MUITO POUCA.Quando urinei sairam 2 coágulos mas nada mais... Segundo a médica deveria ser igual a uma menstruação mas não tá a ser (até porque tenho sempre menstruação muito abundante). Saiu pouquíssimo sangue e já passaram 5h desde que introduzi os comprimidos. Tenho dores insuportáveis e tenho vomitado muito.
    Tenho imenso medo de não "expulsar" tudo e precisar de ir ao hospital e, possivelmente fazer uma raspagem.
    Não quero contar à minha mãe porque ela está com imensos problemas e não quero preocupa-la, apesar de saber que me iria apoiar.
    Alguém me pode ajudar? Sabem se é normal uma hemorragia tão pequena??

    Queria felicitar todas vocês porque este processo exige muita coragem e um desgaste enorme. Para mim está a ser muito complicado porque sempre sonhei ser mãe e amar muito os meus filhos como a minha mãe me ama. Sempre sonhei ser uma mãe como a minha, a melhor do mundo. Apesar do apoio do meu namorado, sinto-me muito sozinha e precisava que alguém me esclarecesse.

    Um grande beijo de coragem a todas e um grande obrigada

    • 2011-12-02 19:07:51 2 Dezembro 2011
    • #131

    p.s.: a médica impingiu-me os medicamentos, não me deu oportunidade de escolher a forma cirúrgica ou medicamentosa.
    Na minha opinião, os médicos que realizam as ivg deviam ter uma formação especial e ser muito mais atenciosos do que, na maior parte dos casos, se verifica.

    • 2011-12-02 21:49:09 2 Dezembro 2011
    • #132

    Boa noite cmonteiro,no caso da anestesia é você que escolhe,esteja descansada,realmente te aconselho a optar pela anestesia geral,no que eu puder ajudar,é só dizer.beijokas.:wink:

  8. Olá Ninha,
    Mais uma vez obrigada pela tua ajuda. Ontem passei na farmácia e pedi um teste de gravidez que mais fiel fosse e ainda perguntei se com 7 dias de atraso e tendo tomado a pilula do dia seguinte ainda podia dar um resultado falso por causa das hormonas.... A Farmacêutica disse que não. Hoje nem dormi bem até fazer o teste e de facto o resultado foi não grávida. O teste é o Clear Blue é digital e até aparece o nº de semanas de gravidez no caso de haver uma gravidez. Fiquei mais aliviada mas agora penso em fazer um de sangue que é mais fiável... não deixei de gastar 14 euros no teste, é bom que seja mesmo bom porque penso que existem mais baratos.
    Obrigada e Bjs

    • 2011-12-03 19:25:44 3 Dezembro 2011
    • #134

    Boa noite cmonteiro,espero realmente q o teste esteja certo e q vc não tenha d passar por uma i.v.g,eu fiz o meu 1º teste no hospital no dia 30 de setembro e deu negativo e fiz tbm uma eco vaginal e o médico disse q eu não estava grávida,porém já estava d 2 semanas,3 dias depois tive um sangramento e comecei com a pílula sem saber q já estava grávida,pois o exame feito no hospital havia dado negativo,no dia 11 de novembro fiz um teste d farmácia q me custou 8€ em 30 segundos vi logo as duas riscas do positivo,bem meu mundo caiu pois já tenho 3 filhos e todos planeados e estava a tratar da minha laqueação de trompas,resumindo fiz a minha i.v.g com exatas 10 semanas,por isso te aconselho a esperar mais 1 semana e mesmo q vc tenha algum sangramento faça outro teste,nem sempre os mais caros são os melhores,pois se os outros não fossem fiavéis,tbm não estariam á venda,pense nisso e dê noticias.:wink:

    • 2011-12-03 19:36:05 3 Dezembro 2011
    • #135

    cmonteiro,o teste q eu fiz foi o Predictor,comprei na famácia do Jumbo.beijokas!

  9. Olá Ninha novamente,

    O meu problema/dúvida foi se a pilula do dia seguinte não deu resultado... Tomei-a a 28 de Novembro, ou seja já faz mais de um mês... Se não fôr ser incomoda a sua gravidez deveu-se a esquecimento da pílula ou outro? No hospital o teste que fizeram foi de sangue? Penso que esse é o mais fiável correcto?
    Se estivesse grávida teria de ser lá para 29 ou 30 de Outubro uma vez que nem sequer é o meu periodo fértil... de dia 28 para cá não tive mais relações sexuais... como tal se tivesse que estar grávida seria já de 4 semanas certo? Com esse tempo o teste não acusaria? Cada vez estou mais confusa. :(
    Eu não tenho sintomas nenhuns de gravidez apenas o atraso que se confunde com a alteração de hormonas que a própria PDS pode provocar. Conheço uma rapariga que a menstruação atrasou 3 semanas....
    Penso que o que vou fazer é mesmo um teste de sangue.
    Já tenho um filho muito desejado e com 2 anos e 5 meses e não penso por agora ter mais filhos, quem sabe no futuro e este foi planeado e mt bem vindo.
    Mais uma vez obrigada pelo testemunho.
    Bjs

  10. olá,

    Tenho 40 anos, tenho uma relação estável e estou grávida.
    Estou a ponderar fazer uma ivg e pelo que tenho lido no fórum fiquei com algum receio de recorrer ao SNS... alguém me pode aconselhar clínicas privadas no porto que estejam legalmente certificadas para realizar a ivg?
    Obrigada!

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: ssporto

    • 2011-12-06 00:15:06 6 Dezembro 2011
    • #138

    Boa noite.
    Eu sou uma rapariga de 20 anos e sou estrangeira. Namoro com um rapaz desde 2008 e desde 2010 vivo em Portugal, para estar ao pé dele.
    Perdi a minha virginidade com ele e começei a tomar a pilula em 2008. Tomei apenas para o verão, pois era um namoro a distancia.
    A seguir em 2009 e até Setembro deste ano tomei a pilula, todos os dias, e nunca me esqueci da pilula. Começei com uma pilula forte mas sentia-me mal, enjôos e dores nas mamas. Troquei pela mais fraca que existisse. Em Setembro resolvi parar a pilula porque estava a ficar fisicamente mal, sentia-me mal com a pilula, inchada e enorme. O meu namorado comprou logo preservativos. Tenho de admitir que sinto uma grande diferença entre relaçoes com ou sem preservativo. No momento e com o desejo, aconteceu duas vezes que o meu namorado penetrou-me sem preservativo, mas foi mesmo só uma penetração, nada de continuar sem preservativo e alias nunca ejaculou sem estarmos protegidos ! Mas eu sei perfeitamente que mesmo no inicio de um acto sexual, pode haver corrimento de esperma e chega perfeitamente para ficarmos grávidas.
    Antes de eu tomar a pilula nunca tive o periodo assim muito regular. E na primeira vez que tive o periodo apos ter parado a pilula, fiquei "atrasada" de uma semana, ou seja não tive o periodo no 28° como tinha com a pilula mas no 34° dia como tinha sem pilula. Na altura fiquei um pouco preocupada mas estava ocupada com outras coisas e não liguei nada disso. Finalmente tive as menstruaçoes.
    Esta, é suposta ser a segunda vez que tenho o periodo "natural". Domingo fará 3 semanas de atraso. Estou preocupada, mas não tenho enjôos nenhum, não tenho nenhum sintomas de qualquer gravidez. Até a lubrificação diaria que temos, diminiu, assim é que sei quando é que vai começar o periodo. Não tenho nenhuma lubrificação natural, e até tenho dores nos ovarios como se fosse umas dores de periodo ! Sinto que está aqui o periodo mas que não quer manifestar-se. Será que estou a convencer-me disso ? Sei bem que deveria fazer um teste, mas estou com tanto medo que o resultado desse positivo. O meu namorado apoia-me, apesar de estar um pouco longe de mim atualmente (pois é militar). Ele está confiante e tem a certeza de que eu não esteja grávida. Mas ele disse-me que se o resultado desse certo, fariamos o que for preciso fazer, ou seja abortar. Pois tenho 20anos e eu ainda não acabei os meus estudos e quero continua-los !! E ele ainda tem muitos planos para a sua carreira !
    Será que a minha cabeça esteja a bloquear isso tudo ?
    Sei que não é propriamente o assunto, mas não consigo parar de pensar nisso ... Estou resolvida a abortar, nem posso duvidar ! Não tenho, de qualquer modo ou de qualquer maneira a possibilidade de guardar este bebé !!
    Sou da zona de Leiria, gostava de saber se sabem de alguma clinica do genero da clinica dos arcos em Leiria ? Pois, se pudesse evitava de ir a Lisboa :)
    Eu nunca fui contra ou a favor do aborto, eu acho que cada situação tem de ser analisada.
    E tendo lido os vossos comentarios, fiquei um pouco assustada com o procedimento, e a dor psicologica !

    São mulheres fortes, apesar de pensarem o contrario ! São fortes por terem escolhido esta "solução " !
    Um beijo para todas

  11. Para alexcrdf
    Boa noite, a minha situação é muito semelhante a tua. Assim como tu depois de ler os comentários dos SNS não queria me expor , ser julgada e mal atendida, mas no Porto não existe nenhuma clinica privada. Fui hoje a Vigo á Clinica Castrelos, é só ires a net e pesquisar. São muito profissionais e amáveis. Fiz com anestesia local e paguei 450€. Fazes tudo no mesmo dia, e dão a medicação necessária. Explicão o que vão fazee e como.Se tiveres menos de 6 semanas podes fazer por medicação, depois das 6 semanas só mesm por intervenção. Como tive muita dificuldade em encontrar um local no Porto ou perto fiz questão de vir aqui e deixar o meu comentário para quem ache útil. Espero ter ajudado e se tivererem alguma questão que eu possa ajudar...escrevam . Espero que tudo corra bem. Este site é bastante util para quem numa situação tão complicada por vezes não sabe onde procurar , o que fazer....
    Obrigada

  12. Boa Noite!
    Este forum, ou este tópico em particular, apareceu-me como uma lufada de ar fresco...

    Sexta feira terei a minha 1ª consulta para uma IVG... completamente decidida e determinada, no entanto com algumas duvidas que talvez voces, com base na vossa experiencia me possam ajudar...

    Soube desta gravidez atraves de um teste de farmacia, optei logo pela IVG, é-me impossivel ponderar outra hipotese. Tenho 34 anos, um filhote maravilhoso de 5anos, mas que no entanto requer demasiado tempo, dedicaçao e até alguma "exclusividade".... Padece de uma doença genética, que lhe traz algum problemas osseos no ano passado foi sujeito a diversos internamentos e cirurgias... Estou de baixa ha quase 3 anos para lhe prestar assistencia e é-me totalmente inaceitavel ter outro filho, apesar de ter sempre dito que gostava de ter mais até descobrir a doença do meu menino. Não consigo imagina-lo hospitalizado e eu não estar, tal como não concebo a ideia de deixar este que tenho meu ventre aos cuidados de outrem, enquanto assisto o meu pequeno...
    Mais ainda, o pai desta criança reside a 300km, temos uma relação bonita mas esta bem longe dos nossos planos a mudança de residencia, se por um lado o meu filho necessita bastante do acompanhamento do pai e ambos residimos perto e temos uma relaçao bastante saudavel, o meu namorado possui a guarda partilhada das suas duas filhas...

    Optamos pela IVG, sem pestanejar!
    No entanto tenho algumas duvidas:
    - Quanto tempo apos a 2ª consulta se toma a 2ª fase da medicaçao?
    - O periodo mais critico, em termos de dores e hemorragias, dura mais ou menos quanto tempo?
    - O processo cirurgico é mais "rapido" e menos doloroso?
    Estas questoes sao colocadas porque irei na 3ª feira fazer a 2ª consulta e na 5ª feira tenho de estar na estefania para internar mais uma vez o meu menino, gostava de estar bem para o poder acompanhar... Resido no Algarve e ele é internado em Lisboa...

    Obrigada desde já!

  13. Olá a todas! E obrigada pelos testemunhos...ajudaram-me a esclarecer bastante.

    Vou fazer a minha IVG sexta-feira na clínica dos Arcos..estou um pouco nervosa mas muito segura da minha decisão. Estou numa relação há 6 meses, terminei a minha licenciatura ainda estou desempregada e apesar de ele já ter a vida resolvida eu não tenho nenhuma estabilidade neste momento para ter este bebe. Posso estar a ser egoísta mas mais dia menos dia esta relação termina e eu iria ficar com uma criança nos braços sem saber para onde me virar...

    Não contei nada ao meu namorado. Ele nunca iria aceitar esta decisão portanto estou mais ou menos sozinha neste momento. O meu problema é que não sei como fugir à questão com ele...sabem quanto tempo vou ter que estar sem puder ter relações? Que desculpa vou poder usar para isto? Vamos uma semana de férias...vou ter de ser muito credível.

  14. Bom dia, quero dar o meu testemunho e talvez me aconselharem.
    Fiz uma IVG medicamentosa na Quinta-feira dia 15 de Dezembro, tomei 4 doses de 200mg entre a gengiva e a bochecha por volta das 9.30. Aconteceu tudo rápido, passado 10 minutos, comecei com dores tão fortes, sentia tudo a contrair, dores insuportáveis. Li que entre a medicação e o aborto demoraria entre 4 a 6 horas e o meu mal tomei os comprimidos, comecei a sentir as dores, durou até as 10.55, entre gemidos, calafrios, tudo muito rápido mas doloroso. Fui á casa de banho já não sentido dores e comecei a sangrar, urinei e ao mesmo tempo saiu sangue e uma grande poça que não consegui identificar...Mas tudo passou, as dores já nao as tive, deitei sangue mais que a menstruação, muitos coágulos grossos e em fios espessos, através da ecografia eu tomei os medicamentos com 7semanas e 3 dias. No dia seguinte o sangue foi sempre de cor viva, comecei a tomar a pilula e deu-me umas picadas fortes no adbomen, e durante a noite vi um bocado de sangue espesso agarrado ao penso, era do tamanho talvez da unha pequena da mão. No sábado tive maior fluxo, momentos em que enchi mais o penso, durante a noite estabilizou. No domingo antes do almoço tornou-me a cair uma poça em menor tamanho mas notória de sangue grosso. Agora tenho estado a sangrar mas tudo mais calmo, de volta e meia quando vou fazer chichi tenho um fio de sangue agarrado e querer descer, é grosso/espesso. Será que a IVG medicamentosa foi-me bem sucedida? Tenho consulta dia 3 de Janeiro. Eu achei tudo muito doloroso sempre tive acompanhada com o meu namorado. Mas ao mesmo tempo que foi doloroso eu olho para trás e leio testemunhos de pessoas que demoraram tanto tempo e passaram muito mal. Tenho receio que não tenha abortado, infelizmente não tenho mesmo como sustentar algo tão desejado.obrigada e espero contribuir com a minha história.

    • 2011-12-20 22:09:3820 Dezembro 2011
    • #143

    Boa noite a todas!
    Aproveito para agradecer a partilha e os testemunhos que aqui li. São muito importantes para quem está a passar por momentos semelhantes.
    Eu própria estou a passar por todo o processo de uma IVG.
    Tive uma consulta na clinica dos Arcos ontem e a IVG ficou marcada só para dia 5 de Janeiro... por se meter o Natal e a passagem de ano, tenho que esperar ainda mais 2 semanas. Vai ser cirurgica e com anestesia geral.
    O que acontece é que estou sozinha, sem apoio de ninguém e bastante assustada.
    Será que me podem aconselhar? Para que pelo menos me conseguisse acalmar um pouco e perder algum medo?
    Tiveram muitas dores? Como se sentiram depois? E que cuidados ter?

    Uma vez mais, muito obrigada a todas por esta partilha!!

  15. Olá Titaz! Já fiz a minha IVG...Também fiz na clinica dos arcos! Conheço essa angustia e receio... Estou bastante tranquila agora! Está a fazer 8 dias que fiz. Não estou nada arrependida...sei que era a única solução e não vale a pena sofrer ou pensar como seria ou poderia ter sido... Eu penso assim! Ficou tudo resolvido, portanto bola para a frente! Em relação ao procedimento posso dizer que nao tive qualquer sofrimento! Estava super nervosa quando entrei... levei a anestesia...acordei... super estranho! Não tive dores...nao senti nada...Costumo dizer que parece que nao aconteceu nada! De vez em quando tenho umas dorezitas...mas nada que me incomode.

    Acho que uma mulher quando faz uma IVG deve estar bem ciente da sua decisão...pq quando o está, que foi o meu caso, é uma processo como qualquer outro... Tem que ser..é feito e não há muito mais a pensar sobre isto! Pode parecer demasiado frio e insensível...mas é assim que encaro as coisas!

    Se precisares de fazer alguma pergunta ou tiveres alguma duvida estás à vontade :)

    • 2012-01-11 11:39:3511 Janeiro 2012
    • #145

    Ola!! Descobrir ontem que estou gravida de 1 mes e nao posso ter essa criança li o depoimento de vcs e me deu mas coragem pra tomar essa decisao mas goataria da ajuda de vcs pq eu moro em salvador e ak alguem sabe me dizer como posso fazer uma IVG me ajudem nao aguento mas ficar enjoando.

    Moro longe da minha casa pois estudo e ainda estou no quarto semestre e nao sei o que fazer meu namorado me apoia na decisao que eu tomar mas estamos preocuoados de como iremos manter essa criança ja que moramos longe e eu estudo por isso nao posso ter estou muito preocupada por favor me ajudem....

  16. Boa tarde meninas

    Preciso da vossa ajuda.

    Chamo-me Filipa, sou de Braga e estou a fazer a minha tese de Mestrado nesse âmbito, O título da mesma será "Fiz uma IVG. - Uma análise sociológica do fenómeno da Interrupção Voluntária da Gravidez".
    Passo a fazer uma breve apresentação sobre a minha tese:

    Com este estudo pretendo incidir no facto de o aborto, numa perspectiva da IVG, ser um direito da mulher. Efectivamente, com a nova concepção social da mulher, a gravidez deixa de ser encarada como instância máxima de realização pessoal. A gravidez deixa de ser sinónimo de maternidade e passa cada vez mais a ser vista como opção. Actualmente, a sexualidade separa-se da reprodução em consequência da modernidade, da emancipação feminina e da igualdade de direitos.

    "Esta emancipação e libertação da mulher permite-lhe ter controlo sobre o seu corpo e a sua vida. A mulher deixa de ser vista como incubadora sempre disponível para o homem. Passa a ter muito maior controlo sobre a sua sexualidade e reprodução: uma mulher que controla a sua reprodução, decidindo quando quer ter filhos é uma mulher que tem tempo para pensar, que está disponível para outras actividades, que não fica reduzida a cuidar dos filhos e da cozinha, é uma mulher que não é propriedade do marido e que pode participar na luta por uma nova sociedade. Tem o potencial para recusar esta sociedade de opressão patriarcal e capitalista e para pensar em que tipo de sociedade deseja viver.
    Pretende-se dar voz às mulheres que efectuaram a interrupção voluntária da gravidez, conscientes da sua decisão e dos seus direitos enquanto mulheres emancipadas. Se a interrupção de uma gravidez pode ser avaliada como uma corrupção dos direitos do feto e do seu direito à vida humana, devendo sobrepor-se, em todos os momentos, aos desejos e decisões da mulher, também a possibilidade de interromper a gravidez pode ser vista como a concretização do controlo da mulher sobre os seus direitos, o seu corpo e a sua vida reprodutiva
    ."

    Peço, portanto, a vossa colaboração, o vosso testemunho. É de extrema importância para levar o projecto a bom porto.
    Garanto-lhes o anonimato.

    Confesso-lhes que fazemos parte do mesmo grupo. Realizei a minha IVG em Abril de 2009.
    É com alguma coragem que escolhi esta temática mas sinto que preciso de o fazer. Julgo que me compreendem.

    PS: Se alguém considerar o meu pedido de ajuda um abuso, peço desculpa antecipadamente. Não quero ferir nem magoar ninguém, afinal...estamos do mesmo lado.

    Obrigada,
    Filipa

    • 2012-01-16 23:50:1016 Janeiro 2012
    • #147

    Ola a todas. Antes de mais OBRIGADA. Nem imaginam no panico em que eu estava..acabei de fazer uma IVG medicamentosa hoje de manha. Ja estava nas 9 semanas e 5 dias. Estou deitada na cama com algumas dores tipo menstruais, no entanto o fluxo sanguineo nao me parece nada ao de menstruaçao, muito pelo contrario, para alem de ser mais abundante, (desculpem-me se o que vou dizer nao for muito adequado :stress:..) já por 3 vezes fui a casa de banho e expeli "algo" grande...assustei-me porque ninguem me avisou como seria. Isto e normal??
    Desculpem a minha msg ser tao abreviada mas hoje nao me sinto capaz fisicamente de vos contar toda a minha historia, mas prometo que o farei.

    • 2012-01-18 12:04:2818 Janeiro 2012
    • #148

    Bom dia a todas as mulheres que com muito sofrimento têm escrito neste forum.

    Neste momento também eu estou a passar por esta fase terrível....Tenho 35 anos, 2 filhos lindos, estou divorciada e desempregada.

    Não engravidei por irresponsabilidade, quer minha ou do meu companheiro, mas porque ao tomar a pílula tomei tambem um antibiotico que cortou o efeito da pilula. Tomei de imediato a pílula do dia seguinte mas ao que parece sem qualquer efeito.

    Tenho a 1ª consulta marcada para sexta feira no Hospital Santa Maria, mas confesso que depois de ler todos estes relatos, estou com um certo receio.

    Escondo esta situação de toda a minha familia e amigos, apenas com o conhecimento do meu companheiro, mas não está a ser fácil.

    Um beijinho

  17. Ola Meninas!

    É muito dificil para mim falar disto, mas aqui vai.
    Em junho de 2011, fui ao ginecologista e ele disse me que tinha uma infecção urinaria, fez me uma ecografia e disse me que eu tinha uma mancha no utero mas que nao sabia do que se tratava, mandou me fazer umas analises que por descuido meu nunca lhe chegaram as mãos.
    Comecei a fazer a medicação para a infecçao tal como ele me mandara mas 2 dias antes de a acabar veio me o periodo, um periodo estranho, que apenas ficou 3 dias.
    Fiz um teste de gravidez que deu negativo e então descansei, no mês seguinte quando era suposto o periodo vir ele nao apareceu, fiz um teste de gravidez e deu positivo, eu tinha apenas 17 anos quando descobri, pensei que fosse uma gravidez de pouquissimo tempo porque na altura eu nao sabia que o periodo podia vir mesmo estando gravida e entao o tempo foi passando e mais um mês se foi, no dia a seguir ao meu 18º aniversario eu fui ao medico dizendo que devia estar gravida de 1 mês e meio mais ou menos.
    Quando o medico me faz uma nova ecografia ele disse me que eu ja estava de pelo menos 3 meses e mostrou me o ecra onde vi um pequenino bebé dentro de uma especie de bolsa.
    Ele disse me que ainda havia algo a fazer se eu nao quisesse ter o bebe e entao ele levou me para casa dele onde me fez uma intervençao a sangue frio, simplesmente pos me uma boca de pato e com um tubo tirou tudo la de dentro, foram dores horriveis, dores que nunca mais quero sentir.Enquanto tudo acontecia eu perdi a noçao de se estava a chorar pelas dores ou pela dor de nao poder ficar com o meu bebe ja que o meu maior sonho é ser mãe.
    Os dias que se passaram a seguir foram horriveis, com muitas dores,com muitos remorsos.
    Fiquei doente por nao conseguir comer graças á tristeza por que passava, tudo melhorou quando contei á minha mae o que tinha acontecido, ela ajudou-me a ultrapassar tudo.
    Um conselho: a melhor pessoa para nos ajudar nestes casos é a nossa mãe porque é aquela que melhor nos quer e vai querer estar sempre no nosso lado.

    Força a todas as que passaram e as que estao a passar por isto.
    Vai ficar tudo bem.

    • 2012-01-23 12:58:1823 Janeiro 2012
    • #150

    Olá a todas!

    Acabo de marcar a minha consulta prévia para dia 2 de fevereiro. Depois de ler todos os comentários vou pedir para fazer IVG cirúrgica. Espero sinceramente que me seja dada a possibilidade de escolher pois é o que consta do folheto informativo do ministério da saúde.

    É realmente um processo complicado e acho que não deveria haver outro método senão o cirúrgico porque me parece desumano enviar mulheres para casa para se 'esvaírem' em sangue...

    Em relação às mulheres que tiveram de lidar com a condenação dos profissionais de saúde pelos quais foram atendidas, é vergonhoso e mostra que a vocação na medicina apesar de fulcral, nem todos a têm! Temos de ser fortes e seguras das nossas opções porque só nós sabemos porque o estamos a fazer.

    Boa sorte para todas!