Participar & Escrever

    • 2009-09-24 15:48:1124 Setembro 2009 editado
    • #1

    Desabafo anônimo...

    A alguns dias descobri ou resolvi começar a enxergar que tenho dois problemas graves, que atrapalham mais do que eu pensava minha chance de ser feliz.
    Sempre tive problemas de humor e depressão, desde criança, essa semana descobri que tenho uma doença chamada distimía, que é como uma depressão porém mais leve, o problema é que ela apesar de ser leve é continua, então ao inves de voce as vezes estar depremido, eu as vezes estou bem. É muito triste e me simto muito culpada, pois nem ao menos sei o motivo de tanta tristeza, me sinto culpada pois tenho um bom trabalho, uma boa casa, uma linda filha e um ótimo marido, algumas pessoas nao tem nada disso e vivem melhor do que eu.
    Tive uma constatação que apesar de dificil me ajuda bastante. Começou com a distimia, evoluiu para uma depressão pós parto e evoluiu para o alcoolismo.
    Eu alcoólatra? imagina... quantas vezes neguei isso... hj resolvi não negar mais.
    Uma pessoa que bebe todos os dias durante anos é o que? sempre pensei que não era pois sou uma ótima mãe, uma boa esposa, nao caio pelas ruas e nunca faço escandalo, só tomo uma cervejinha, que mal havia nisso?
    Comecei a me assustar com o problema quando comecei a ficar ansiosa pelo fim do expediente, as vezes nem conseguia esperar chegar em casa, comprava logo uma cerveja no posto e ia tomando enquanto dirigia.
    Chegava em casa, mais uma, mais uma, cozinhando mais uma, até no banho eu a levava.
    Um dia levei minha filha no shopping, enquanto ela jantava tomei dois chops grandes, fiquei alegre, como queria, na saida peguei mais um, fui pra casa dirigindo, com minha filha atrás dormindo, passei mal e vomitei pela janela com o carro andando, quase bati. Depois desse dia fiquei assustada e comecei a perceber meu problema.
    Sempre tinha uma desculpa pra beber, tem sol, delicia de cerveja gelada na praia, tá chovendo, nada pra fazer em casa, abre uma, estou estressada e preciso relaxar, estou feliz e preciso comemorar, estou na festa e todos estão bebendo... sempre tinha uma desculpinha para não me sentir alcoolatra.
    É muito triste perceber isso pois qdo vc vicia no alcool vc perde aquele lance gostoso de beber as vezes com os amigos, uma alcoolatra nao pode beber NUNCA mais! nem socialmente o que não é ruim. Isso acabou comigo, não poderei mais fazer uma coisa que adoro, como me acostumar com sua falta?
    Quanto a distimia pelo que lí e se encaixa muito bem ela aparece na infancia ou na adolescencia, as causas são inumeras, infancia dificil, pais separados, perdas, pais alcoólatras entre outros, passei por quase td que lí. Enfim, uam coisa levou a outra, se eu tivesse sido diagnosticada na adolescencia hj talvez eu não fosse uma viciada.
    A coisa se complicou quando engravidei sem querer, uma camisinha furada, me separei do pai quando ela tinha 1 ano e fiquei sozinha, era uma criança dificil, mto chorona, quase enlouqueci, chegava em casa do trabalho e pra cuidar dela chegava a tomar 2 litros de vinho, por sorte nao amamentava mais e tbm nunca bebi qdo grávida dela. Por isso achava que nao era viciada.
    Sou uma ótima mãe, dou muita atenção, mto carinho, nunca bati e nunca deixei faltar nada, quem me conhece nem sequer percebe que bebi, sou igual, todos me elogiam como mãe. Mas o problema é que sei que se nao parar agora isso vai mudar, pois cada vez preciso de mais, antes era uma lata, hoje são 6, 8. Quantas serão daqui um ano? e se eu virar outra pessoa, agressiva, trasformar a infancia da minha filha um pesadelo? nao quero isso pra ela, ela é uma criança muito especial, é muito feliz e me ama muito, nao quero que isso mude, por isso resolvi parar, estou a 3 dias sóbria, sinto o efeito da abstinencia, mas estou conseguindo, nao estou pensando no tempo e sim no dia, os dias que não bebo coloco uma carinha feliz no meu calendário, esse ano só tenho 4 carinhas felizes, assustador não?!


  1. Olá Bia_RJ. Também sofro de distímia desde criança e só procurei ajuda há cerca de um ano. Sou trintona. Já tive, pelo menos, dois episódios de depressão aguda e só um deles foi diagnosticado. Porque da primeira vez não pedi ajuda. Não sou alcoólica, mas pelo que sei do assunto, admiro a sua coragem em reconhecer, e a tempo de não causar males maiores. Agora é preciso procurar ajuda profissional, e acredito que, com a sua lucidez e inteligência, vai conseguir superar esse problema. Boa sorte e felicidades.

  2. Agora é que reparei que este desabafo é de 2009 (uau, há 5 anos!).
    Conseguiu superar o problema?