Participar & Escrever

Ver mais sobre

    • 2014-08-02 03:37:08 2 Agosto 2014 editado
    • #1

    Boa noite,

    Vivo com a minha mãe de 82 anos, (os 2 juntos há 20 anos, desde que faleceu o meu pai), doente diabética, ainda com bastante autonomia, mas com quem é cada vez mais difícil o relacionamento, sendo também bastante propensa a depressões.

    Sou homem, trabalho longe de casa num emprego bastante exigente, pelo que a minha mãe fica sozinha das 7 da manhã às 8 da noite. Pouco mais faço que umas pequenas limpezas e distribuo os medicamentos para tomar durante o dia. No entanto, acompanho-a sempre ao médico e a tratamentos, como também a levo muitas vezes ao fim de semana a passear e almoçar ou lanchar fora.

    A minha maior dificuldade é fazê-la aceitar os meus reparos e conselhos, transforma o 8 em 80. Por exemplo, sofre periodicamente de incontinência e diarreia mas recusa-se a usar fralda; não gosta que lhe ralhe quando lhe digo para subir as meias porque como são elásticas se não estiverem bem esticadas o sangue não circula; tem problema nos joanetes dos pés mas não consigo convencê-la a comprar sapatos ortopédicos; reage muito mal quando lhe digo que tem alguma nódoa na roupa, ou se a ajudo a cortar a carne num restaurante, ou se lhe ajeito o penteado do cabelo; não quer que contrate uma pessoa para ajudar na limpeza da casa; sugeri que um dia poderia ir para um bom lar porque tem dinheiro suficiente e a assistência seria bem melhor que a atualmente tem, mas interpretou que a estava a tentar expulsar de casa, ainda que efetivamente tenha desabafado que preferia ficar só a ter uma vida de desentendimentos.

    O relacionamento está muito deteriorado, ainda que tenha alguma culpa porque nem sempre tenho a paciência necessária, mas é impressionante o grau de aversão que a minha mãe ganhou por mim nos últimos tempos, porque desvaloriza tudo o que faço e não se interessa minimamente pelos meus problemas, para além de estar sempre a apontar casos de outras pessoas conhecidas em que esses sim são muito bem tratados pelos familiares. Recentemente tem feito queixa de mim aos vizinhos e familiares, sobre o meu desleixo, maus tratos e inclusive acusa-me de a roubar. As pessoas, nem todas bem-intencionadas, ficam muito chocadas, e já falam em recorrer a advogados e chamar a polícia.

    Agradecia se possível alguns conselhos sobre como lidar pessoas difíceis, e se têm conhecimento de entidades / associações na região do Porto a que possa recorrer para ajuda psicológica.

    Grato pela atenção dispensada.