Participar & Escrever

    • 2008-05-02 18:28:10 2 Maio 2008 editado
    • #1

    O que é, para si, o stress?

    Provavelmente vai responder que é algo mau, destruidor, gerador de tensão, responsável por quase tudo o que de mau acontece na vida moderna...
    Desde falta de tempo a doenças. É verdade, o stress pode ser tudo isso ou o seu inverso. Acredita?
    O stress é, afinal, um estímulo que pode ser positivo ou negativo.
    Tudo depende de si!

    PARTINDO DO PRINCÍPIO
    A definição de stress não é fácil, certamente já percebeu. Mas vamos aos mecanismos iniciais. O stress, a que vamos chamar estímulo, tem uma consequência imediata: fazer todos os nossos sentidos ficarem alerta. E o que é que provoca isso? Quase tudo. O stress acontece apenas quando a pessoa percebe uma exigência externa como excedendo a sua capacidade para lidar com ela. Guerras, desastres naturais, terrorismo e emigração são consideradas as situações extremas causadoras de stress. Entre as mais vulgarmente vividas, encontram-se situações de perda ou mudança de emprego, trabalho muito exigente, divórcio ou morte do cônjuge, morte de um parente próximo, acidente ou doença, casamento, problemas sexuais. Mas, atenção: até situações consideradas agradáveis, como as férias, podem causar stress pois, afinal, o que o provoca é uma mudança que exige adaptação.

    MULHERES ENFRENTAM VÁRIAS SITUAÇÕES AO LONGO DO DIA
    Homens e mulheres estão igualmente sujeitos a estímulos durante o dia. O que acontece é que as mulheres têm de desempenhar papéis diferentes. São profissionais, mães, esposas e donas de casa, o que lhes exige um maior esforço de adaptação de umas tarefas para outras. A mulher impõe-se um conjunto de obrigações, passa o dia a cumpri-las e, no final do dia, tem a sensação de que trabalhou muito mas não fez nada, o que significa, muito simplesmente, que não fez nada para si. Os aspectos fisiológicos, como as , podem agravar a percepção negativa dos estímulos que a rodeiam.

    APRENDER A LIDAR COM A SITUAÇÃO
    "O stress pode funcionar de forma positiva também", explica a psicóloga e psicoterapeuta Ana Paula Belo, "o que é importante é que a pessoa faça uma aprendizagem que a leve a utilizar o stress como um estímulo positivo, de forma construtiva. Se entendermos o estímulo como um desafio, uma oportunidade, estamos a usá-lo como motivação para agir e podemos atingir níveis de desempenho mais elevados. A energia e a motivação são as qualidades positivas do stress. As pessoas falam sempre do stress como sendo algo negativo, mas não é".

    CARGA NEGATIVA DO STRESS
    Se virmos o stress como uma ameaça, sentiremos certamente todos os efeitos negativos. E pode começar logo ao acordar. Seja levantar da cama, tomar o pequeno-almoço, levar as crianças à escola ou as filas de trânsito para o trabalho, tudo nos parece um fardo. É o começo de um dia cheio de carga negativa, em que a mais pequena tarefa nos aparece como um problema. E a situação repete-se diariamente... estamos perante o stress crónico.

    NO CAMINHO DA RESOLUÇÃO
    Primeiro, há que prestar s sinais de alarme transmitidos pelo corpo. Consciencializando-nos, podemos tentar alterar a situação para melhor. Depois, é fundamental analisar as situações que nos provocaram stress, para as eliminar. Em alternativa, podemos tentar encará-las de forma diferente, uma técnica que se aprende na terapia... Quanto aos sinais físicos, são várias as alternativas, dependendo dos órgãos mais afectados. Para a tensão muscular, o relaxamento e a massagem fazem milagres. O desporto moderado, marcha e natação, podem ser imbatíveis técnicas de gerir a ansiedade.

    Consequências físicas e psíquicas do stress
    ■ Alergias
    ■ Alterações menstruais is Ansiedade
    ■ Cefaleias e enxaquecas
    ■ Dificuldades respiratórias
    ■ Dores musculares e articulares « Fadiga
    ■ Fobias
    ■ Palpitações
    ■ Problemas cardíacos
    ■ Problemas no aparelho digestivo (colites, cólon irritável, gastrites, úlceras...)

    PROFISSÕES DE MAIOR RISCO
    ■ Professores
    ■ Profissões de ajuda (médicos, enfermeiros)
    ■ Polícias
    ■ Quadros superiores de empresas