Participar & Escrever

    • 2007-10-17 19:23:0917 Outubro 2007 editado
    • #1

    James Watson, Nobel da Medicina em 1962, um dos homens responsáveis pela descoberta da estrutura molecular do ADN, a dupla hélice da vida, precursor da genética, acredita que os negros são menos inteligentes que os brancos. As suas declarações, publicadas num trabalho no “Sunday Times”, de domingo passado, estão a envolver o cientista, mais uma vez, numa acesa polémica.

    Não é a primeira vez que James Watson, já com 79 anos e responsável pelo prestigiado laboratório de Cold Springs, suscita polémica com as suas declarações politicamente incorrectas. Em 1997 afirmou, também numa entrevista ao britânico “Telegraph”, que, se um dia se descobrisse que a homossexualidade está gravada nos genes, então que as mães de bebés com esses genes deveriam ter o direito de abortar: “Disse que deviam ter esse direito porque quase todas gostavam um dia de ter netos”, recordou agora na entrevista de domingo do “Sunday Times”.

    Agora Watson, que se prepara para publicar mais um livro (“Avoid boring people: lessons from a life in Science”), e que anseia pelo dia em que os cientistas deixem a tarefa de falar politicamente correcto... para os políticos, defende que, geneticamente, os brancos são mais inteligentes que os negros.

    “Toda a nossa política social está baseada no facto da inteligência deles [dos africanos] ser a mesma que a nossa. Mas todas as experiências dizem que não é bem assim”, afirma, para depois acrescentar: “Quem tenha que lidar com empregados negros sabe que isto não é verdade”.

    Segundo a Unesco, a discriminação de raças com base em pressupostos científicos carece de fundamento e é contra os princípios morais e éticos da humanidade. Mas Watson não entende assim a questão: “Tudo o que conta para mim é a ciência pura”, diz na entrevista. Citado pelo “Independent”, Steven Rose, investigador em biologia da Open University e membro da Sociedade para a Responsabilidade na Ciência, uma das vozes que se insurgiu contra as declarações, afirma: “Se Watson lesse com atenção tudo o que tem sido publicado nesta área concluiria que não percebeu nada do que foi descoberto até agora”.

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1307829


    • 2008-05-15 14:58:0115 Maio 2008 editado
    • #2

    A diferença não está na cor está na cultura, não somos destinados a nada, podemos é ter influencias dos genes, mas creio que a cultura tem mais influencia

    • 2008-05-18 15:36:5618 Maio 2008 editado
    • #3

    Olá Tjda!

    Eu acredito que a cultura seja mais influenciável que os genes.

    Se de pequenos formos ensinados de uma determinada forma, vai repercurtir-se na nossa maneira de agir perante a sociedade e no nosso dia a dia.

    Julgo que este James Watson não está a ver "bem o filme"...

    Se todos tivermos a oportunidade de estar em boas escolas, de termos bons professores, de ter vidas/ famílias equilibradas e sãs, a teoria deste sr. cai "por água abaixo".

    Não me parece que tenha a ver com a cor, julgo que tem que ver com a personalidade das pessoas e com educação de cada um.

    E nem vou comentar a teoria da homossexualidade que jugo absurda. :o
    Tenho uma filha de que muito me orgulho e que nunca colocaria a hipótese de abortar por poder vir a ser lésbica.

    Não sei o que o futuro me reserva mas só desejo que ela seja feliz e estarei cá SEMPRE para a apoiar em todas as decisões que tome.
    Que absurdo de homem! :P