Participar & Escrever

  1. O governo publicou hoje em Diário da República a Carta dos Direitos de Acesso aos Cuidados de Saúde pelos utentes do Serviço Nacional de Saúde, em que estabelece a garantia de prestação dos cuidados de saúde num tempo considerado clinicamente aceitável para a condição de saúde de cada utente.

    Ou seja, todos os anos sairá uma portaria que nos vai dizer quanto tempo, no máximo, é que teremos que esperar por uma consulta, uma operação ou exame.

    Melhor ainda, os hospitais, centros de saúde e demais estabelecimentos, serão obrigados, dentro dos prazos máximos, a informar os utentes dos seus tempos de resposta garantidos.
    Isto quer dizer que por exemplo, estando eu doente e precisando de uma intervenção cirurgica poderei saber, quanto tempo é que demorarei a ser operado no "meu" hospital em comparação com outros hospitais de outras zonas do país.

    Os hospitais/outros ficam também obrigados a dizer quanto tempo é que poderemos esperar até sermos "atendidos".

    Se os hospitais/outros não conseguirem dar resposta no tempo máximo estabelecido deverão informar e reencaminhar os utentes para as instituições privadas.

    Podemos sempre reclamar caso os prazos não sejam cumpridos. Devemos fazê-lo à ERS http://www.ers.min-saude.pt/.

    Esta lei entrará em vigor em 2008.

    A Lei n.º 41/2007: http://dre.pt/pdf1sdip/2007/08/16300/0566405665.PDF


    • 2007-09-03 02:58:35 3 Setembro 2007 editado
    • #2

    Sinto-me uma beneficiada por poder usufruir de um sistema de saúde que felizmente não me deixa em listas de espera para coisa nenhuma.

    Julgo que a saúde deveria ser o sector onde a palavra " lista de espera" não deveria existir... É a nossa vida que se encontra em jogo!
    Se passamos o tempo a dizer que a vida é preciosa e que ter saúde é o maior tesouro que podemos ter, porque carga de água, temos que " esperar" horas para ter uma consulta, para ser atendido, para ser operado, para ser tratado.
    Não faz sentido!

    Felizmente, tenho um seguro de saúde. Felizmente, posso pagá- lo. Felizmente, posso recorrer ás urgências e não ter que esperar mais que 10 minutos, no máximo.
    Mas e quem não pode?!

    É inadmissível que os meus pais, tenham que ir para a porta do Centro de saúde da sua área de residência ás 6h da manhã para poderem ter acesso a uma senha para serem atendidos pela médica de família, a partir das 11 h e que se dá ao luxo de faltar sem um pré-aviso, sem o mínimo respeito pelos utentes.

    Se vos disser que não vou há minha médica de família há pelo menos 10 anos, não estou a mentir.
    Recorri sempre ao médico particular e não compreendo como as pessoas toleram esta falta de respeito por parte dos médicos.
    Eu sei que existem pessoas assim em todas as profissões mas julgo que neste ramo, a importância pelo ser humano deveria ser muito mais cuidada... Trata-se da nossa saúde!

    Deveriam deixar de achar que são uma classe previligiada e começarem a comportar-se como profissionais que são. Que devem tratar as pessoas como se deles se tratassem... Quem não tem vocação, faça outra coisa da vida!