Participar & Escrever

  1. Olá, queria falar um pouco sobre o mal da depressão, que atinge muitíssimas pessoas, pra nao falar todas, em alguma fase da vida (perder emprego, vida amorosa, etc.).
    Tem gente que acha que é o fim do mundo e tem gente que já teve e nem se deu conta, de tão rápido que foi a superação.
    Mas para os que custam a superar este mal ( as vezes tratado como uma doença), eu digo: é preciso ter conhecimento, saber os sintomas, saber o que te faz mal. Não adianta se fechar para o mundo com vontade de sumir, é preciso procurar ajuda se necessário, não ter vergonha de falar o mal que te aflige. Falo isso tudo por experiência própria.
    É preciso procurar ajuda.
    Tive experiência com isso ao ver meu filho, logo criança, menos de 7 anos de idade, ficar mal por eu ter perdido vários empregos seguidos.
    Procurei ajuda em vários sites, consegui achar esse texto que fala realmente o que é a depressão e como diagnosticar a doença.
    Então deixo à vocês a dica: ajudem seus familiares/parceiros com depressão, e se é você que está depressivo, procure ajuda. A depressão só é curada com muito amor e carinho. Graças a Deus meu filho está 100% melhor hoje!
    Obrigado! Espero ter ajudado!


  2. Há 2 anos que me encontro com uma grande depressão, os médicos dizem que eu tenho crises de ansiedade mas eu acho que vai tudo dar ao mesmo, na situação financeira actual que nos encontra-mos, depois de ter ficado desempregado verifiquei que as oportunidades de emprego não eram muitas e acabei por aceitar trabalhar numa agência funerária, ao final de 7 meses de me encontrar lá a trabalhar, comecei a ter as crises, que mais não são do que a sensação de estar a ter um AVC, nesta altura tive que meter baixa, pois já não aguentava mais. Já se sabe que este trabalho não é indicado para qualquer pessoa, só que nesta funerária as coisas são bem piores do que lidar com pessoas já falecidas e os seus familiares, é que nos dias em que não aparecia nenhum serviço para fazer tinha que estar numa garagem repeleta de urnas à espera que as horas passassem, é de dar em doido, eu ainda por cima tenho uma situação familiar bastante complexa, o meu filho mais velho asfixiou durante o parto e ficou com lesões muito graves, o que faz com que a minha vida já seja bastante dificil.
    Para além de fazer um relato da minha situação de saúde, queria também, contar uma situação que me aconteceu quando fui chamado para comparecer na junta médica.
    No dia marcado desloquei-me à consulta, onde fui atendido por 2 médicas que após me terem questionado sobre o que se passava comigo, disseram-me para descer ao piso debaixo que a minha baixa estava renovada, quando chueguei cá abaixo entregaram-me uma folha a dizer que tinha que ir trabalhar, tentei subir as escadas para confrontar as médicas mas a passagem foi-me barrada pela policia, é o país que temos, obrigam as pessoas a desesperar e depois dão-se os suicidios.
    Para todas as pessoas que se encontram a passar um mau bocado eu desejo que tenham toda a força do mundo e que se lembrem que só se vive uma vez e que tem que ser agora que temos que aproveitar, sei que não é fácil mas larguem os problemas e vão até à disco e saltem um bocado para gastar essas más energias que se vão acumulando ao longo do tempo.

    Um abraço

    E sejam felizes:sarcasm:

  3. Já agora, encontro-me à procura de trabalho se souberem de alguma coisa o meu email é joseferreira.mail@iol.pt, já me encontro capaz de começar um novo rumo.:big_grin:

  4. Olá a todos!
    A melhor ajuda que posso dar a todos vocês que deixaram aqui as vossas experiencias é aconselhar a procurar apoio especializado. Procurem um psicologo ou psiquiatra. eu estou a ter consultas com o Dr. Ricardo Campos que tem um site na net (www.e-psicologia.net)
    Não é publicidade. Apenas partilho porque é o que conheço, mas sei que existem mais.
    Boa sorte para todos.
    Ana Escoval

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: danielav, pakito

    • 2010-11-29 17:24:1929 Novembro 2010
    • #5

    Sou a Joana Tenho 20 anos..desde muito cedo que tive problemas, nunca tive uma familia "normal" pois, assisti a maus tratos para com a minha mae desde muito cedo, e meu pai nunca me deu o minimo de atençao pois é alcoolico, aos meus 12 anos deixei de comer...tive um disturbio alimentar, estando perante um inicio de anorexia...fui logo enviada para um pedipsiquiatra, estive sendo tratada durante dois anos e depois pude continuar a minha vida, com problemas visto que só quando tive 18 anos é que o meu pai foi proibido de se aprocimar de mim e da minha mae...logo após quando pensava k tinha tudo para estar bem, seguir em frente caí numa depressão.. eu que achava que era uma super mulher...fui novamente á procura de ajuda e recorri a mesma medica que me tratou aos 12 anos..tive sendo medicada durante um ano..e depois parei....a a partir dos 19 anos tenho tido susessivas crises de depressão ...não consigo me compreender...Uma semana posso tar bem, outra ja estou a chorar e nao quero estar com ng...

    Tenho um namorado Já a quase 3 anos, amo-o muito, mas estou continuamente a pensar que não quero estar com ele que não gosto dele...
    Em relação á minha mae simplesmente não a suporto , não conseguimos ter uma conversa pk acabamos logo por discutir..
    Neste momento estou a ser seguida por uma psicologa mas sofro muito com medo que um dia faxa uma asneira e perca a pessoa que mais amo e que mais me apoia...

  5. Johana, se já é seguida pela mesma psicóloga há algum tempo e se não observa qualquer melhora, pondere procurar outro.

  6. Caros,
    Procurei este fórum para tentar encontrar algum alento em minha mais recente crise depressiva. Apesar de ter apoio da família, é terrível a sensação de vazio e falta de sentido na vida que sinto a cada episódio. Como não é o primeiro episódio, racionalmente tenho esperança de que esta crise há de passar. Mas a sensação é de que nunca passará. Estou com nova medicação e novo médico há duas semanas. Sei que preciso ter paciência e esperar algumas semanas mais para que a medicação comece a fazer efeito. Esta crise está muito forte e só o amor das pessoas me tem segurado. Só por elas ainda me sustento.
    Agradeço a existência deste fórum que acabo de descobrir e ao qual acabo de me filiar. Não me sinto tão só. Embora com o apoio da família, por vezes é preciso também saber poupar um pouco os familiares.

    Um abraço,
    D.

    • 2011-02-05 09:52:04 5 Fevereiro 2011
    • #8

    Olá.
    Preciso de ajuda. Só penso em suicídio. Não sei o que hei-de fazer, a quem me dirigir. Não me quero expor e ser alvo de crítica ou chacota. Sei que há alguns números de ajuda mas não me sinto capaz de falar disto, para já prefiro escrever.

    obrgado.

    • 2011-02-09 22:06:20 9 Fevereiro 2011
    • #9

    Escrevo isto com lágrimas nos olhos. Tenho 24 anos e não sei se tenho uma depressão mas suspeito que sim. Já muitas vezes que pensei em falar com o médico acerca disto mas penso sempre que isso seria apenas mais uma razão para me considerar um falhanço: não conseguir melhorar sozinha. Sinto-me um farrapo. Só consigo pensar em mim e na minha vida como sendo um falhanço total sem nenhum sentido. Não entendo porque estou aqui nesta terra se não tenho nenhuma utilidade nem sirvo para nada ou para ninguém. Não saio de casa, nunca tive namorado, tenho apenas 3 amigas que penso não se importarem tanto comigo como eu me importo com elas. Já tentei melhorar as coisas e sair para desanuviar e divertir-me mas nunca o faço porque nenhuma das minhas 3 amigas o quer fazer. Não conheço realmente mais ninguém e agora que saí da universidade, elas ocupam-se das suas vidas, e estão lentamente a sair da minha sem eu poder fazer seja o que fôr para o parar. Não consigo arranjar emprego e penso constantemente nisso, sentindo-me ainda pior porque não sei o que posso fazer para ajudar os meus pais e para contribuir seja para o que fôr. Sou gorda e estou a tentar emagrecer mas agora isso está constantemente a ocupar-me os pensamentos e sinto-me ainda pior do que quando nada fazia para emagrecer. Apenas tenho os meus pais na minha vida para combater a total e sufocante solidão em que vivo. Passo os dias sozinha no meu quarto, sem vontade de fazer nada e as vezes ponho-me apenas a olhar para o ecrã do meu computador. Se não fossem os meus pais e o sofrimento que sei que lhes causaria já há muito tempo que teria acabado com tudo. Não consigo vislumbrar uma luz ao fundo do túnel, não sei como fazer mais amigos, não sei como deixar de me sentir totalmente só e sem ter com kem falar. Penso que ninguém entende realmente aquilo porque estou a passar porque nada me aconteceu ou na minha vida que justifique o que sinto. Já contei a minha mãe aquilo que sinto mas ela ficou tão triste e assustada que não tenho coragem de falar com ela outra vez acerca disso. Tento passar sempre uma imagem contente, feliz e divertida da minha pessoa, sorrio sem sentir que estou a sorrir no interior e por isso as pessoas não sabem o que se passa comigo. Com quem falar? O que fazer? COmo explicar o que sinto? Não sei...

    Estas pessoas agradeceram ou concordaram com esta mensagem: 366mpw

    • 2011-02-18 22:45:5418 Fevereiro 2011 editado
    • #10

    Antes de se enchumbarem em medicamentos para a depressão façam os exames às Hipersensibilidades: IgE, IgA, IgG, IgM

    estas Ig(s) são defesas existentes no nosso sistema imunitário que em caso de "ataque" severo e/ou prolongado tem consequências gravosas também ao nível depressivo.

    antes de andarem a tomar medicamentos horríveis e cheios de efeitos secundários que vos podem colocar efectivamente doentes crónicos para o resto das vossas vidas façam estas análises de rotina simples e baratas.

    eu contra mim falo.

    Médico que é Médico o que quer é ganhar o dele ao fim do mês para comer, beber, pagar os estudos aos filhos, comprar roupa, musica, ir passear, ter uma grande casa e conduzir um carrão para passear a mulher/marido e mostra-se aos amigos/amigas

    data-ad-client="ca-pub-8057434045421582" data-ad-slot="3064784842">
    • 2011-02-19 17:28:1219 Fevereiro 2011
    • #11

    faça as analises e depois diga-me alguma coisa. ;-)

    em 1º lugar para tirar teimas.

    em 2º lugar porque é apenas uma analise de rotina ao sangue, fezes e urina. Barata e sem problemas/sintomas colaterais.

    com os melhores cumprimentos

  7. A depressão é muito dolorosa,tem dus origens ;interna,(endogena) factores genéticos e herditariedade ou (exogena),por factores externos ao individuo ,por situações vividas quer pessoalmente ou profissionalmente.
    É muito importante sabermos o porquê de depressão ,normalmente pode estar associada a situações de medo sem fundamento que provoca ansiedade,(sem forças,falta de ideias,pouca vontade de executar tarefas, aperto no peito,falta de apetite e desiquilibrio geral.
    Neste Mundo ,ainda pouco se sabe sobre a cura da depressão ,simplesmente atenuam-se os sintomas simplesmente.
    A terapeuta com psicofármacos é na maior parte das vezes para atenuar o sofrimento ,mas é preciso encontrar a causa.
    Há também outras formas de atenuarmos a dor ,como relaxamento ,pensamento diferente, "a lei da atracção" ,como por exemplo ,tentar estar sempre positivo e alegre ,dessa forma atrai-nos coisas e situações boas e agradaveis ,sendo benéfico para o alívio da depressão .Obrigado

  8. Boa tarde, sofro de depressao ha mais de 1 ano e nao tem sido facil durante meses nao consegui exercer a minha actividade profissional e ha pouco tempo voltei ao meu trabalho e fui vitima de retaliacoes *(ou pelo menos parece-me) por ter estado de baixa tanto tempo e ainda por cima com uma doenca que pouca gente entende. A minha vida neste ultimo ano tem sido complicada e todos os dias luto com todas as minhas forcas para me manter em pe, mas tem sido tao dificil uma vez que tenho pouca ajuda e pouca gente que me entenda, as pessoas acham que a depressao se cura da noite para o dia, mas infelizmente nao, apetece-me desabafar mas hoje estou num dia mau ate para isso. fico muito contente por haver um forum onde existem pessoas que sentem o mesmo que eu.

    • 2011-05-09 01:16:39 9 Maio 2011 editado
    • #14

    sofias, realmente como refere, pouca gente entende não só a depressão, mas igualmente as restantes doenças do foro mental. A nossa sociedade ainda tem muito que evoluir nesse caminho.

    Força :wink:

  9. Tenho um amigo que sofre de depressao ha mais de vinte anos.
    Conheço-o há 14 meses.
    A nossa relação tem tido altos e baixos.
    Ele tornou se uma pessoa muito especial. Mas há dez dias disse me que estava cansado, que não queria que eu me preocupasse... no momento acedi mas já se passaram dez dias e não tenho noticias dele. Não me responde a mensagens e estou a entrar em pânico.
    Não conheço os familiares e não temos amigos comuns. Não quero forçar nada mas estou de facto muito aflita. O que faço? Agradeço quem me possa ajudar.